Vacinas contra Ômicron podem ser aprovadas em 3 a 4 meses, diz regulador europeu

Declaração foi dada por Emer Cooke, chefe do regulador de medicamentos da União Europeia

Agente de saúde usa solução salina para preparar doses da vacina "Comirnaty" da Pfizer-BioNTech contra a Covid-19 em centro de vacinação em Madri, Espanha
Agente de saúde usa solução salina para preparar doses da vacina "Comirnaty" da Pfizer-BioNTech contra a Covid-19 em centro de vacinação em Madri, Espanha 24/11/2021 REUTERS/Sergio Perez

Niamh Kennedyda CNN

Londres

Ouvir notícia

As vacinas desenvolvidas para atingir a Ômicron, nova variante do SARS-CoV-2 , podem ser aprovadas em três a quatro meses, se necessário, disse o chefe do regulador de medicamentos da União Europeia na terça-feira.

Embora as vacinas até agora tenham se mostrado “eficazes contra as variantes circulantes”, há uma necessidade de “entender se será ou não esse o caso” com a Ômicron, disse Emer Cooke, Diretor Executivo da Agência Europeia de Medicamentos (EMA), ao Parlamento Europeu.

Um processo de teste de laboratório de duas semanas deve ocorrer primeiro para estabelecer se a safra atual de vacinas oferece proteção contra Omicron, Cooke disse.

As autoridades de saúde também terão que considerar como a situação europeia se compara à da África do Sul, Cooke disse, apontando que alguns dos fatores-chave são a idade mais velha da população europeia Europa, a disposição de vacinas e o uso de doses reforço .

Se houver necessidade de alterar as vacinas atuais, as empresas terão que adaptar suas formulações para incluir o novo sequenciamento, disse Cooke. Ela acrescentou que a EMA está trabalhando com empresas farmacêuticas e outros reguladores para garantir que eles estejam “tão preparados e prontos quanto possível”.

Se houver necessidade de alterar as vacinas existentes, poderemos estar em posição de tê-las aprovadas dentro de três a quatro meses “, disse Cooke.
Cooke também enfatizou “que as vacinas atuais fornecem proteção”.

Ela também reforçou a importância de avançar com o rollout de reforço em todo o bloco, para que os elegíveis para a proteção adicional a recebam.

Mais Recentes da CNN