Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Velocidade nas internações perdeu força em SP, diz coordenador do Comitê Científico

    À CNN, João Gabbardo afirmou que a tendência é de que internações nas UTIs também desacelerem nas próximas semanas

    Amanda GarciaBel Camposda CNN em São Paulo

    O coordenador-executivo do Comitê Científico do estado de São Paulo, João Gabbardo, afirmou, em entrevista à CNN Rádio, que a incidência da variante Ômicron começa a dar indícios de desaceleração nos hospitais.

    “A pandemia sempre tem uma característica, começa na capital e depois avança na Grande São Paulo e interior, sempre foi assim, depois a redução acontece na mesma ordem, hoje na capital a velocidade das internações perdeu força”, disse.

    Segundo ele, isso deve acontecer em todo o estado nos próximos quinze dias. “Vamos sofrer mais umas duas semanas de demanda grande, com taxa de internação elevada para Covid e a partir da metade de fevereiro vamos melhorar”.

    Gabbardo reforçou que a maior parte das pessoas internadas não está imunizada. “Os 10% da população não-vacinada em São Paulo estão internando mais do que 90% da população já vacinada”.

    O coordenador ressaltou que ainda há taxa elevada de positividade de testes de Covid-19. “A Ômicron tem a tendência não sabemos se pelo vírus ser menos letal ou se porque a população está mais protegida com as vacinas, mas o número de pessoas com sintomas moderados e graves é menor”.

    Gabbardo avalia que o fato de São Paulo ter 80% da população com esquema vacinal completo “traz um conforto” neste momento.

    Ele ainda afirma que a velocidade de vacinação das crianças está em um ritmo aceitável: “Vacinamos 250 mil crianças por dia, nosso planejamento é de que, em 3 semanas de vacinação, podemos ter 100% das crianças com a primeira dose”.

    Gabbardo afirmou também que “a maioria esmagadora dos pais é favorável à imunização e está levando seus filhos para serem vacinados”.