Zoom usa criptografia para melhorar segurança em nova versão do aplicativo

A atualização será lançada dentro de uma semana; empresa tem enfrentado uma reação negativa após a identificação de falhas de segurança na plataforma

Da CNN, em São Paulo
22 de abril de 2020 às 16:41
 
Com distanciamento social por causa da pandemia do novo coronavírus, aplicativo Zoom atraiu usuários
Foto: Albert Gea - 2.abr.2020/Reuters

A Zoom Video, empresa que oferece serviços de chamadas e videoconferência, anunciou nesta quarta-feira (22) uma atualização do aplicativo com recursos de criptografia, com o objetivo de proteger melhor os dados das reuniões e oferecer resistência a fraudes.

De acordo com a empresa, a nova versão do aplicativo, batizada de Zoom 5.0, será lançada dentro de uma semana. 

A plataforma, que subiu de 10 milhões para 200 milhões de usuários diários em menos de três meses, enfrentou uma reação negativa depois que especialistas de segurança encontraram falhas na plataforma e a empresa não divulgou que o serviço não era criptografado de ponta a ponta.

Leia também:

Zoom está levando segurança a sério, diz governo dos EUA

FBI alerta para o 'zoombombing', as invasões nas videoconferências

 

Preocupações com a segurança

Segundo um memorando do Departamento de Segurança Interna dos EUA (DHS), distribuído no início de abril às principais autoridades governamentais de segurança cibernética, a Zoom tem respondido às preocupações a respeito da segurança de seu software. 

O memorando emitiu uma nota sobre a solução de "teleworking", que tem sido afetada por preocupações de segurança desde que a pandemia de coronavírus trouxe uma enxurrada de novos usuários para que precisam trabalhar em casa. Na época, o DHS afirmou que a empresa tem respondido às críticas e entendeu a gravidade da situação.