Astrônomo explica como ocorrem as chuvas de meteoros

Segundo especialista, observação do fenômeno não traz risco algum, já que os meteoros têm, em sua maioria, dimensões pequenas

Lorena Lara, da CNN em São Paulo
09 de agosto de 2020 às 19:25 | Atualizado 09 de agosto de 2020 às 19:52

Chuva de meteoros, como a que ocorreu na última semana, é um aumento na frequência em que esse tipo de corpo celeste chega à Terra, explicou o astrônomo Eder Canalle à CNN neste domingo (9).

“Um meteoro é um fragmento rochoso ou metálico - na verdade, uma mescla desses dois materiais - que adentra a dezenas de milhares de quilômetros por hora na atmosfera", disse.

Ele esclarece que, na entrada do meteoro na atmosfera, é produzido um risco luminoso, comumente conhecido como "estrela cadente".

O astrônomo afirma ainda que a observação do fenômeno não traz risco algum. "Não é necessário ter medo. Aproximadamente, a cada 100 mil, 200 mil anos é que cai um meteoro de grandes dimensões na Terra, como aconteceu há alguns anos, na cidade de Chelyabinsk, na Rússia. Esse não era tão grande, tinha apenas algumas dezenas de metros e explodiu na atmosfera. Mas não há nenhum perigo", disse o especialista.