Pesquisadores encontram fragmentos de crocodilo que tinha o tamanho de um ônibus

Estudo divulgado nesta semana revela detalhes do Deinosuchus, espécie que aterrorizava dinossauros entre 75 e 82 milhões de anos atrás

Allen Kim da CNN
11 de agosto de 2020 às 10:48 | Atualizado 11 de agosto de 2020 às 11:07
O mundo já foi o lar de “crocodilos do terror” que atacavam dinossauros. Imagem mostra fragmentos encontrados do Deinosuchus
Foto: Cortesia de Adam P. Cossette e Christopher A. Brown

Um novo estudo revelou detalhes sobre os gigantescos Deinosuchus, os “crocodilos do terror”, que andavam pelo mundo e atacavam dinossauros com dentes “do tamanho de bananas”.

Realizada em 2018, a pesquisa foi publicada esta semana no “Journal of Vertebrate Paleontology”. Ela descobriu que os Deinosuchus – uma linhagem de crocodilos gigantes da América do Norte do período Cretáceo Superior – eram quase tão compridos quanto os ônibus urbanos, crescendo até 10 metros de comprimento, de acordo com os autores.

“O Deinosuchus foi um gigante que deve ter aterrorizado dinossauros que iam até a beira das águas para beber”, disse o doutor Adam Cossette, coautor do estudo, em um comunicado à imprensa. “Até agora, o animal completo era desconhecido. Esses novos espécimes que examinamos revelam um predador bizarro e monstruoso com dentes do tamanho de bananas”.

O nome de Deinosuchus significa “crocodilo do terror”, mas os autores do estudo dizem que eles se pareciam mais com jacarés. No entanto, o focinho do Deinosuchus era longo e largo, com dois buracos misteriosos na ponta, o que o diferenciava tanto dos crocodilos quanto dos jacarés.

Existiram pelo menos três espécies de Deinosuchus, e elas viviam nos dois extremos da América do Norte: do lado oeste, onde hoje fica o estado de Montana ao norte do México; pelo lado leste, eram encontrados ao longo da planície costeira do Atlântico, de New Jersey ao Mississippi de hoje.

Leia também:
Imagens de satélite revelam novas colônias de pinguins imperadores na Antártica
Zoológico palestino registra alta em nascimentos após falta de visitantes

O Deinosuchus foi provavelmente o maior predador em seu ecossistema, superando até mesmo os maiores dinossauros carnívoros que viviam na mesma época. Os cientistas descobriram marcas de mordidas deixadas por eles em tudo, de ossos de dinossauros a cascos de tartarugas. Felizmente, os “crocodilos do terror” viveram entre 75 e 82 milhões de anos atrás.

“Era um animal estranho”, contou o professor Christopher Brochu, coautor do estudo, no comunicado à imprensa. “O estudo mostra também que os crocodilos (atuais) não são ‘fósseis vivos’ que não mudaram desde a era dos dinossauros. Eles evoluíram tão dinamicamente quanto qualquer outro grupo”.

Não se sabe o que aconteceu com os Deinosuchus e como eles foram extintos, já que os autores do estudo descobriram que eles desapareceram antes da principal extinção em massa no final da era dos dinossauros.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês).