PlayStation 5 e Xbox Series X: uma comparação item a item

Em dúvida sobre qual console da próxima geração vale mais a pena? Veja as especificações

Shannon Liao, do CNN Business
18 de setembro de 2020 às 17:57 | Atualizado 18 de setembro de 2020 às 17:58
O PlayStation 5, da Sony, e o Xbox Series X, da Microsoft
Foto: Divulgação/Sony/Microsoft

A temporada de férias de 2020/2021 verá um confronto entre os novos consoles de dois dos maiores nomes dos videogames: Sony e Microsoft.

As empresas já deram vários detalhes sobre suas novidades, o PlayStation 5 da Sony e o Xbox Series X da Microsoft. O Xbox Series X chega em 10 de novembro e vai custar US$ 499 nos EUA. Outro lançamento é uma versão mais barata, o Xbox Series S por US$ 299.

Leia também:

Microsoft e Sony preparam nova guerra no streaming, só que na área de games

Com console de US$ 299, Xbox 'manda recado' para jogos mobile, diz especialista

PS5 será lançado no Brasil em novembro com modelos a partir de R$ 4.500

O PlayStation 5 sai em 12 de novembro e vai custar US$ 499, com uma “edição digital” que dispensa o drive para discos custando US$ 399. Todos os preços são para o mercado norte-americano.

A CNN deu uma olhada em como esses dois lançamentos muito esperados se comparam, a partir do especificações técnicas dos consoles aos seus designs e estratégias de negócios. Também conversamos com a Xbox após o showcase de jogos de quinta-feira (17) para discutir a próxima geração de consoles.

Especificações técnicas

Quando se trata de processador, o Xbox Series X é um pouco mais poderoso do que o PlayStation 5, embora a diferença provavelmente não tenha um grande impacto na experiência de jogo.

O processador do novo Xbox, também conhecido como CPU, pode atingir velocidades do clock ligeiramente mais rápidas de 3,8 gigahertz em comparação com os 3,5 gigahertz do PS5. Mas esses são apenas os números – é preciso saber como isso se reflete no desempenho.

Quando se trata de gráficos, a Microsoft parece ter uma pequena vantagem – pelo menos no início.

As unidades de processamento gráfico, comumente conhecidas como GPUs, renderizam os gráficos do jogo. Em geral, quanto mais poder de processamento a GPU do console tiver, melhor será a aparência do jogo. O Xbox tem 1,7 teraflops (unidade de medição da velocidade de computação) a mais em sua GPU do que o PlayStation.

Mas, antes de descartarmos a Sony, deve-se notar que o PlayStation tem algumas diferenças em sua arquitetura de GPU que podem se traduzir em melhor desempenho gráfico do que parece à primeira vista. Portanto, só saberemos como todos esses números afetam a experiência visual quando vermos como os gráficos ficam em vários jogos.

O Xbox Series X ganha no armazenamento interno. O Xbox tem 1 terabyte de armazenamento interno em comparação com os 825 GB do PlayStation. Qualquer jogador dirá que ficar sem armazenamento em um console pode ser um incômodo. Mas ambos os fabricantes de console têm soluções de jogos em nuvem agora (PlayStation Now e Project xCloud) e, se mais jogadores dependerem da nuvem, o armazenamento se tornará menos importante.

A Sony tem uma vantagem. O PS5 pode enviar dados a 5,5 GB por segundo, em comparação com o Xbox Series X, que funciona a 2,4 GB por segundo. Isso pode significar tempos de carregamento ligeiramente mais rápidos e menos tempo gasto em uma tela de carregamento.

Ambos os consoles são combinados igualmente em outros lugares. Cada um deles tem 16 GB de memória e suporta jogos de resolução de 4K e 8K. Quando se trata da mais recente tecnologia de flashy, tanto a Sony quanto a Microsoft trabalharam para incorporar o ray-tracing, uma tecnologia que faz a luz e a sombra parecerem melhores no jogo, e oferecem áudio 3D para um som mais envolvente.

Embora ambos os consoles suportem jogos com resolução de 8K, a maioria das pessoas não possui uma televisão compatível com 8K e a maioria dos desenvolvedores não otimiza jogos para essa resolução.

A Sony e a Microsoft construíram esses consoles com suporte de 8K pensando no futuro. As televisões 8K atualmente disponíveis são caras, com um modelo Samsung de 55 polegadas custando US$ 2.499. Sony e Samsung têm modelos 8K de 98 polegadas por cerca de US$ 60 mil.

“Quando projetamos o Xbox Series X, fazemos isso com os próximos sete a dez anos em mente”, afirmou Jason Ronald, diretor de gerenciamento de programas do Xbox Series X, à CNN. “Portanto, é claro que projetamos o sistema para ser capaz de fazer 8K”.

Estratégia de negócio

Na geração atual de consoles, o PlayStation 4 da Sony superou amplamente o Xbox One. Ambos foram introduzidos em 2013 e, desde então, os consoles PS4 venderam 109 milhões de unidades no início de 2020.

Embora as vendas do Xbox One não sejam divulgadas, estima-se que tenham sido vendidos cerca de 49 milhões de unidades, de acordo com a Ampere Analysis.

A Nintendo, que lança consoles em seu próprio cronograma e cujo console Switch está no início do ciclo de vida de produto, ultrapassou o Xbox One em vendas vitalícias, vendendo 53 milhões de unidades no início de 2020, apesar de ter sido lançado quatro anos depois.

Muito disso se resume ao conteúdo. Sony e Nintendo têm jogos atraentes que só podem ser jogados em seus próprios consoles, prendendo os fãs dessas franquias em seus ecossistemas. Algumas franquias da Nintendo, como “Super Mario” e “Pokémon”, raramente chegam a outras plataformas e, se o fazem, são versões dos jogos para dispositivos móveis, e não para console. A Sony acelera os fãs a cada geração com um novo conjunto de exclusivos do PlayStation.

Muitos títulos do Xbox, no entanto, são lançados simultaneamente para Xbox e PlayStation, o que significa que os fãs da Sony não precisam migrar para fora de seu ecossistema preferido para jogá-los.

O diretor de pesquisa de jogos da Ampere Analysis, Piers Harding-Rolls, prevê que a Sony vai vender mais que a Microsoft novamente, atingindo 67 milhões de consoles vendidos até o final de 2024, em comparação com os 44 milhões estimados para a Série X. Suas estimativas são baseadas em dados de vendas anteriores e considerando as estratégias da Sony e da Microsoft. A Sony continua contando com grandes jogos exclusivos.

“A Sony está focada em empurrar exclusividades para o PS5 para vender hardware e está permanecendo mais tradicional em sua abordagem”, disse Harding-Rolls à CNN. "Ela tenta manter seu público através do PlayStation Now, mas é muito menos agressiva em sua abordagem em comparação com a Microsoft e seu Xbox Game Pass”.

A Microsoft está focada na venda de jogos como um serviço, na esperança de que os jogadores comprem uma assinatura mensal de seu Xbox Game Pass, que oferece acesso a centenas de jogos e custa a partir de US$ 9,99 por mês. A Microsoft disse que todos os novos jogos que mostrou na quinta-feira (17) estarão disponíveis através do Game Pass.

Também é promissor pensar que os usuários não precisarão atualizar para o console da próxima geração para muitos jogos, já que vários serão compatíveis com as versões anteriores. E se os jogadores quiserem usar dispositivos móveis, o Project xCloud oferece suporte para isso.

Ronald, o diretor do Xbox Series X, disse que a empresa está “realmente focando no jogador e não tentando forçá-lo a atualizar para um dispositivo individual ou tornar as coisas exclusivas para este ou aquele console”. E acrescentou: "Acho que é o que realmente nos diferencia da concorrência”.

Ronald estima que o Xbox girou para se concentrar mais no jogador do que no dispositivo na época em que Phil Spencer se tornou o chefe do Xbox em 2014, um ano após o lançamento do Xbox One.

É uma abordagem muito diferente da Sony, que é a de comercializar uma nova rodada de exclusividades, incluindo o próximo “Spider-Man: Miles Morales”, exclusivo para o PS5.

A Sony se recusou a fazer comentários para esta reportagem.

A Xbox tem uma proposta de grande valor ao oferecer centenas de jogos por uma taxa baixa por mês com sua assinatura do Game Pass - se é que é possível transmitir esse valor ao seu público.

“A Microsoft em geral luta com o marketing de produtos de entretenimento. Eles ficam muito mais confortáveis vendendo essas especificações técnicas para uma equipe de TI que realmente se preocupando com esse aspecto. Infelizmente, essa é uma pequena fração do comprador do console”, afirmou David Cole, analista da empresa de pesquisas DFC Intelligence.

Alguns consumidores podem simplesmente esperar para ver se os consoles valem a atualização. E o impacto da pandemia na renda de muitas pessoas pode influenciar a decisão.

“Muitos jogadores vão ficar felizes em sobreviver em seus consoles atuais até que sejam forçados a atualizar para jogar o mais novo lançamento de

uma série adorada”, explicou Laine Nooney, professora assistente e historiadora de videogames na Universidade de Nova York.

(Texto traduzido, leia o original em inglês)