Canguru branco extremamente raro nasce em zoológico em Nova York

Filho de cangurus vermelhos, Cosmo nasceu com condição rara diferente do albinismo que lhe tirou a pigmentação da pele, mas não dos olhos

Por Alaa Elassar, da CNN
23 de janeiro de 2021 às 05:22
Cosmo e seu pai, Boomer
Cosmo e seu pai, Boomer
Foto: Animal Adventure Park/ Divulgação


 

O nascimento de um canguru vermelho com uma doença rara deixou os funcionários de um zoológico de Nova York chocados.

Cosmo, o mais novo canguru do Animal Adventure Park, nasceu branco por ter leucismo, uma condição incrivelmente rara que causa a perda parcial da pigmentação da pele e do pelo de um animal. Ao contrário do albinismo, o leucismo não causa falta de pigmentação nos olhos.

O bebê nasceu no parque de animais em Harpursville há cinco meses, mas foi removido pelos tratadores da bolsa de sua mãe pela primeira vez em 15 de janeiro.

 

Como outros bebês cangurus nascidos do tamanho da unha de um humano, Cosmo foi deixado para crescer na bolsa de sua mãe por meses antes de ser removido para receber seu primeiro exame médico completo.

"Logo de cara, quando vimos que ele era branco, foi notável, mas quando olhamos mais de perto e vimos os olhos negros, nosso queixo caiu no chão. Naquele momento, sabíamos que tínhamos algo que nunca tínhamos visto em nosso carreiras inteiras", disse o proprietário do parque, Jordan Patch, à CNN.
"Esse é o único canguru desse tipo que existe na América do Norte neste momento, então é muito raro."

O pequeno Cosmo nasceu filho de Boomer, um canguru vermelho macho que vive no parque há oito anos, e Rosie, que se juntou ao parque em 2020.

"Qualquer que seja a genética subjacente entre os dois é o que produziu essa mutação única", disse Patch. "Agora, estamos procurando entender e estudar o que é esse gene, ambos os pais são portadores de traços recessivos, isso é apenas um acaso?"

Embora a composição genética de Cosmo não deva afetar sua saúde, o único perigo é o fato de ele não ter a capacidade de se camuflar, de forma que provavelmente nunca sobreviveria na natureza.