YouTube remove 30 mil vídeos com notícias falsas sobre vacinas contra a Covid-19

Política da empresa contra a desinformação da vacina da Covid-19 teve início em outubro do ano passado

De Richard Davis e Brian Fung, da CNN
11 de março de 2021 às 16:42
Vista externa dos escritórios do YouTube em Londres, no Reino Unido
Vista externa dos escritórios do YouTube em Londres, no Reino Unido
Foto: Toby Melville/Reuters (11.set.2020)

O YouTube removeu mais de 30.000 vídeos contendo informações incorretas sobre a vacina contra o coronavírus, disse a empresa nesta quinta-feira (11). 

Os vídeos “incluíam alegações sobre as vacinas contra a Covid-19 que contradizem as autoridades de saúde locais ou a Organização Mundial da Saúde”, disse Elena Hernandez, porta-voz do YouTube. “No geral, desde fevereiro de 2020, removemos mais de 800.000 vídeos relacionados a informações perigosas ou enganosas de coronavírus.”

A política do YouTube contra a desinformação da vacina da Covid data de outubro do ano passado, quando a empresa anunciou que as alegações falsas, como a de que a vacina é letal ou levará ao rastreamento de microchip, seriam removidas. 

O YouTube está sob crescente escrutínio quanto à maneira como seu mecanismo de recomendação pode levar usuários desavisados ??a buracos de coelho extremistas e espalhar alegações enganosas. No início deste mês, a CEO Susan Wojcicki disse que a conta do ex-presidente Donald Trump será restaurada depois de suspensa por incitamento. 

O institutto Axios foi o primeiro a reportar a estatística de remoção mais recente do YouTube.

(Texto traduzido, clique aqui e leia o original em inglês).