Nasa alerta para enchentes históricas no mundo em 2030

O rápido aumento começará em meados da década de 2030, quando um ciclo lunar amplificará o aumento do nível do mar causado pela crise climática

Rachel Trent, da CNN
14 de julho de 2021 às 10:34 | Atualizado 16 de julho de 2021 às 22:55

 

As comunidades costeiras dos Estados Unidos devem ficar em alerta. Um aumento "dramático" nas enchentes da maré alta ocorrerá daqui a pouco mais de uma década nos Estados Unidos, de acordo com a Nasa.

O rápido aumento começará em meados da década de 2030, quando um ciclo lunar amplificará o aumento do nível do mar causado pela crise climática, revelou um novo estudo liderado pelos membros da equipe da Nasa na Universidade do Havaí que estuda a ciência da mudança do nível do mar.

Apenas os litorais do extremo norte, como o do Alasca, terão pelo menos mais uma década de descanso porque os processos geológicos de longo prazo estão levando ao aumento dessas áreas terrestres.

O estudo, publicado na revista científica Nature Climate Change, é o primeiro a levar em consideração todas as causas oceânicas e astronômicas conhecidas para inundações, disse a agência em um comunicado à imprensa.

As enchentes da maré alta envolvem menos água do que as tempestades de um furacão, mas o principal autor do estudo alerta que isso não significa que sejam um problema menos significativo no geral. "É o efeito acumulado ao longo do tempo que terá um impacto", disse Phil Thompson, professor assistente do departamento de oceanografia da Universidade do Havaí, em comunicado à imprensa.

"Se inundar 10 ou 15 vezes por mês, uma empresa não pode continuar operando com seu estacionamento submerso. As pessoas perdem seus empregos porque não conseguem trabalhar. As fossas se tornaram um problema de saúde pública."

A Administração Oceânica e Atmosférica Nacional relatou mais de 600 enchentes na maré alta em 2019. Este novo estudo projeta que essas enchentes às vezes ocorrerão em aglomerados com duração de um mês ou mais na década de 2030, dependendo das posições da lua, da Terra e do sol. Algumas cidades podem ver enchentes a cada um ou dois dias.

Ciclo lunar

A razão para essa onda esperada está ligada ao ciclo de 18,6 anos da lua.

Neste momento, o ciclo está na metade que amplifica as marés – o que significa que as marés altas ficam mais altas e as marés baixas ficam mais baixas. Ao longo da maior parte da costa dos Estados Unidos, os atuais níveis do mar não aumentaram tanto ao ponto de as marés altas regularmente ultrapassarem os limites das inundações.

Mas não será o caso da próxima vez, que ocorrerá em meados dos anos 2030.

Isso se deve à forma como uma oscilação na órbita da lua se combina com a elevação do nível do mar. A oscilação não é nova – foi relatada pela primeira vez em 1728. Mas como esse movimento afeta a atração gravitacional da lua, a principal causa das marés da Terra, vai despertar essas novas preocupações com inundações quando combinadas com a elevação do nível do mar.

"O aumento do nível do mar global estará em ação por mais uma década. Os mares superiores, amplificados pelo ciclo lunar, causarão um salto nos números das inundações em quase todos os litorais continentais dos EUA, Havaí e Guam", afirmou um comunicado da Nasa.

(Texto traduzido. Leia o original em inglês.)

A Lua, satélite natural da Terra
Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil