Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Agência Espacial Europeia anuncia primeiro “parastronauta”

    Terceira geração de astronautas europeus inclui cinco astronautas de carreira, 11 membros de uma reserva e um profissional com deficiência física

    Nova classe apresentada pela ESA
    Nova classe apresentada pela ESA P. Sebirot/ESA

    Katie Huntda CNN

    Pela primeira vez em 13 anos, a Agência Espacial Europeia (ESA, em inglês) anunciou uma nova classe de astronautas em treinamento, incluindo o primeiro “parastronauta” do mundo.

    A terceira geração de astronautas europeus inclui cinco astronautas de carreira, 11 membros de uma reserva de astronautas e um astronauta com deficiência física, que participarão de um projeto de viabilidade para incluir astronautas com deficiência em voos espaciais tripulados e possíveis missões futuras. Os 17 foram escolhidos entre mais de 22.500 candidatos de toda a Europa.

    “Esta classe de astronautas da ESA está trazendo ambição, talento e diversidade de muitas formas diferentes – para impulsionar nossos esforços e nosso futuro”, disse o diretor-geral da ESA, Josef Aschbacher, em um comunicado à imprensa, referindo-se à “exploração contínua em órbita baixa da Terra no Estação Espacial Internacional, avançando para a Lua – e além.”

    Cinco novos recrutas, três homens e duas mulheres, iniciarão 12 meses de treinamento básico no Centro Europeu de Astronautas em Colônia, na Alemanha, para permitir que alcancem o padrão especificado pelos parceiros da Estação Espacial Internacional, informou a agência espacial. Os candidatos são Sophie Adenot, Pablo Álvarez Fernández, Rosemary Coogan, Raphaël Liégeois e John McFall.

    É a primeira vez que a agência espacial cria uma reserva de astronautas, formada por candidatos que passaram pelo processo seletivo, mas não foram recrutados. Os astronautas da reserva permanecem com seus atuais empregadores e receberão um contrato de consultoria.

    McFall, um médico britânico e paraolímpico, disse que se sentiu compelido a se inscrever quando viu o anúncio da ESA para um astronauta com deficiência física. Sua perna direita foi amputada após um acidente de moto quando ele tinha 19 anos.

    McFall, médico britânico, paraolímpico e primeiro “parastronauta” da ESA / P. Sebirot/ESA

    “Pensei: ‘Uau, esta é uma oportunidade tão grande e interessante'”, disse McFall em um vídeo postado no site da ESA. “Achei que seria um candidato muito bom para ajudar a ESA a responder à pergunta que eles estavam fazendo: ‘Podemos levar uma pessoa com deficiência física para o espaço?'”

    A convocação da ESA para candidatos com deficiência física foi aberta para pessoas com deficiência nos membros inferiores ou consideradas de baixa estatura — menos de 130 centímetros.

    A agência espacial esteve intimamente envolvida com a missão Artemis da Nasa para colocar os humanos de volta à Lua, e a ESA espera que o primeiro europeu a pisar na Lua esteja entre essa classe de astronautas.

    A agência espacial também concordou na quarta-feira (23) com um novo orçamento de 16,9 bilhões de euros (US$ 17,5 bilhões) para os próximos três anos – um aumento de 17% em relação a 2019.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original