Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Carros autônomos estão cada vez mais próximos de rodar nas ruas, conheça principais modelos em desenvolvimento

    Entenda como funciona a tecnologia e veja quais marcas entraram nessa corrida

    Após parceira, veículos da Waymo já podem ser solicitados via Uber em cidade dos Estados Unidos
    Após parceira, veículos da Waymo já podem ser solicitados via Uber em cidade dos Estados Unidos Divulgação/Waymo

    João Nakamurada CNN* São Paulo

    Um carro sem câmbio, pedais e nem mesmo volante é possível? E como ele seria guiado?

    Um cenário imaginado na ficção científica está cada vez mais próximo da realidade. Ao menos se depender dos esforços das principais montadoras, que já disputam uma verdeira corrida pelo desenvolvimento de veículos autônomos, ou seja, que conseguem se “autoconduzir” sem a necessidade de um motorista.

    A disputa entre as gigantes do setor iniciou na década passada, e apesar de os modelos ainda não estarem tão popularizados como prometido pelas empresas, o longo tempo de espera está começando a gerar frutos.

    Carros do futuro, agora

    Como funcionam?

    Entenda como funcionam os cinco níveis de autonomia dos veículos com condução autônoma:

    • Nível 0: veículos controlados manualmente;
    • Nível 1: Assistência ao motorista. Automóvel com tecnologias de assistência na qual o motorista realiza grande parte das tarefas. Um exemplo são os sistemas que controlam a velocidade de cruzeiro;
    • Nível 2: Direção parcialmente automática. A automação já começa a aparecer de fato, com o veículo podendo controlar aceleração, frenagem e indicar direções. O motorista ainda é responsável pela condução do veículo;
    • Nível 3: Direção altamente automatizada. Com sensores mais avançados, o veículo já é capaz de gerenciar a direção. Contudo, sua aceleração é limitada e ele precisa de resposta do motorista para realizar tarefas como trocar de faixa. O motorista deve ficar atento também caso seja necessário assumir a direção.
    • Nível 4: Automação parcialmente completa. Aqui o veículo já pode dirigir por conta própria durante maior parte do trajeto e pode realizar manobras por conta própria. Contudo, sua área de atuação é mapeada e limitada, e o veículo não pode atingir altas velocidades.
    • Nível 5: Automação completa. Não é necessário mais um motorista, todos no carro podem desfrutar da viagem com conforto como passageiros.

    Sensor LiDAR

    São necessários diversos sensores para guiar os veículos autônomos.

    Uma das principais tecnologias utilizadas para a autonomia é o sensor LiDAR. A tecnologia de Light Detection And Ranging (detecção de luz e alcance, em tradução livre) usa uma sensoriamento remoto para medir propriedades da luz refletida.

    Portanto, a tecnologia é capaz de medir a distância correta entre diferentes objetos.

    Com um sistema de laser que mapeia os arredores do veículo, o LiDAR é responsável por fazer o carro “enxergar”.

    Assim, o computador registra as variáveis ao seu redor e toma as decisões necessárias para levar o passageiro em segurança até o seu destino.

    Veja também: Economia com carro elétrico passa de R$ 100 mil

    *Sob supervisão de Gabriel Bosa