China enviará três astronautas para sua nova estação espacial

Com lançamento nesta quarta-feira (16), missão de três meses será crucial para desenvolver módulo chinês que está em construção em uma órbita terrestre baixa

China enviará astronautas Tang Hongbo, Nie Haisheng e Liu Boming para sua estação espacial
China enviará astronautas Tang Hongbo, Nie Haisheng e Liu Boming para sua estação espacial Foto: Kevin Frayer -16.jun.2021/Getty Images

Ben Westcott e Yong Xiong, da CNN

Ouvir notícia

Um foguete transportando três astronautas veteranos com destino ao módulo da estação espacial em órbita da China será lançado do Deserto de Gobi, no norte do país, em pouco mais de 24 horas, anunciou a agência espacial do país nesta quarta-feira (16).

Os três homens, Nie Haisheng, de 56 anos, Liu Boming, de 54 anos, e Tang Hongbo, de 45 anos, se tornarão os primeiros astronautas chineses a pousar nos estágios iniciais da estação espacial, chamada Tiangong ou Palácio Celestial, que ainda está em construção em uma órbita terrestre baixa.

O Escritório de Engenharia Espacial da China fez o anúncio em entrevista coletiva nesta quarta, dizendo que o lançamento acontecerá às 9h22 de quinta-feira (17) no horário de Pequim (22h22 desta quarta-feira, no horário de Brasília), no Centro de Lançamento Espacial de Jiuquan, no Deserto de Gobi.

A missão, chamada Shenzhou-12 ou Nave Divina, é a primeira de quatro missões planejadas para a Tiangong, de acordo com a mídia estatal, e marca um marco significativo no programa espacial em rápida expansão da China – ao todo, os astronautas ficarão três meses na estação espacial.

Nos últimos sete meses, os cientistas do país já pousaram com sucesso rovers exploratórios na Lua, em dezembro, e em Marte, em maio.

Como parte de seus planos de ter uma estação espacial com tripulação completa até dezembro de 2022, a China lançou com sucesso o primeiro módulo central, conhecido como Tianhe ou Harmonia dos Céus, em 29 de abril.

O módulo é a maior espaçonave desenvolvida pelo país até o momento, com um comprimento total de 16,6 metros e um espaço vital de 50 metros cúbicos, de acordo com a Corporação de Ciência e Tecnologia Aeroespacial da China.

A tripulação de três homens será liderada por Nie Haisheng, o membro mais velho da equipe. O lançamento marcará a terceira viagem de Nie ao espaço, tendo estado a bordo da primeira missão da China com mais de um astronauta em 2005 e sua missão de 2013 para testar sua tecnologia de acoplamento.

Liu Boming, o segundo membro mais antigo da equipe, juntou-se à missão espacial chinesa de 2008, na qual ajudou Zhai Zhigang a se tornar o primeiro astronauta chinês a realizar uma caminhada espacial. O membro mais jovem da tripulação, Tang Hongbo, é o único dos três que ainda não viajou ao espaço, apesar do treinamento de 11 anos, segundo a mídia estatal.

Funcionário fotografa a plataforma de lançamento da nave chinesa Shenzhou-12
Funcionário fotografa a plataforma de lançamento da Shenzhou-12, nave chinesa que levará astronautas a estação especial
Foto: Kevin Frayer – 16.jun.2021/Getty Images

De acordo com um funcionário do Escritório de Engenharia Espacial da China, os astronautas conduzirão duas caminhadas espaciais para instalar equipamentos na estação espacial durante sua missão.

Não há um anúncio oficial ainda sobre quando as outras seções da estação espacial serão lançadas, mas o módulo deve operar por pelo menos 10 anos.

Uma espaçonave de carga, carregando suprimentos para os três astronautas, incluindo alimentos, equipamentos e propulsor, atracou na estação espacial em 30 de maio, de acordo com a agência de notícias estatal Xinhua.

Astronautas chineses há muito foram excluídos da Estação Espacial Internacional (ISS), devido a objeções políticas e restrições legislativas dos EUA. A Rússia, um colaborador de longa data da ISS, também deixou o projeto e agora está considerando lançar sua própria estação espacial em 2030.

A China já operou dois laboratórios espaciais em órbita, o Tiangong-1 e o Tiangong-2, ambos testes para a estação espacial maior que o país está construindo agora.

(Texto traduzido; leia o original em inglês)

Mais Recentes da CNN