Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Construção de telescópio revolucionário no deserto do Atacama com espelho de 39 metros está 50% concluída; veja fotos

    O equipamento está sendo construído no topo do Cerro Armazones — montanha localizada no Chile

    Flávio Ismerimda CNN São Paulo

    A construção ELT (Extremely Large Telescope, do inglês, telescópio extremamente grande), do ESO (Observatório Europeu do Sul, do inglês, European Southern Observatory), chegou a 50%.

    O equipamento está sendo construído no topo do Cerro Armazones — montanha localizada no deserto do Atacama, no Chile.

    O telescópio terá um espelho de 39 metros e será o maior do mundo para luz visível e para visão infravermelho. Os componentes, como outros espelhos e lasers, estão sendo produzidos por empresas na Europa e devem ser entregues ao ESO para avaliação e testagens.

    “Atingir os 50% de conclusão não é pouca coisa, dados os desafios inerentes a projetos grandes e complexos, e só foi possível graças ao empenho de todos no ESO, ao apoio contínuo dos Estados Membros do ESO e ao envolvimento dos nossos parceiros da indústria e consórcios de instrumentos”, disse o diretor-geral do ESO, Xavier Barcons, em referência aos desafios enfrentados na construção do projeto.

    As obras já duram nove anos e exigiram inclusive um achatamento do topo da montanha para acomodar o super-telescópio. A pandemia de Covid-19 e as meticulosidades da construção dos espelhos do equipamento foram alguns dos fatores que provocaram o arrastamento das obras.

    Boa parte da infra-estrutura de suporte já está pronta e em funcionamento, já que a usina solar que fornecerá energia renovável para a operação do equipamento e o edifício técnico — onde serão armazenados e revestidos os espelhos do ELT.

    A previsão do ESO é que o telescópio esteja pronto para iniciar suas observações científicas em 2028. A ideia é reunir evidências para tentar responder perguntas relevantes para a astronomia que até hoje seguem sem resposta exata, como:

    • Estamos sozinhos no Universo?
    • As leis da física são universais?
    • Como as primeiras estrelas e galáxias se formaram?

    O ESO é uma organização supranacional de cooperação para investimento em pesquisas no ramo da astronomia, sendo o Chile seu país-sede dos seus telescópios. O órgão conta com membros como França, Alemanha, Itália, Espanha e Reino Unido — além de ter a participação da Austrália como parceira estratégica.