Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Dinossauros exibiram rápida taxa de crescimento desde o início, mostra estudo

    Pesquisadores examinaram espaços preservados dentro dos ossos de dinossauros que habitaram o noroeste da Argentina há mais de 200 milhões de anos

    Ilustração mostra o Tyrannossaurus rex
    Ilustração mostra o Tyrannossaurus rex Leonello Calvetty/Science Photo Library/Getty Images

    Will Dunhamda Reuters

    Um dos traços que ajudou a tornar os dinossauros uma história de sucesso evolucionário — prosperando por 165 milhões de anos — foi sua rápida taxa de crescimento, desde enormes carnívoros como o Tyrannosaurus Rex até herbívoros gigantes como o Argentinosaurus.

    Mas quando essa característica apareceu pela primeira vez? Um novo estudo indica que ela estava presente nos primeiros dinossauros, conforme revelado por características microscópicas em ossos fossilizados da Argentina, que mostraram taxas de crescimento comparáveis ​​às dos mamíferos e pássaros de hoje.

    O crescimento rápido oferece várias vantagens.

    “Crescer rapidamente permite que os organismos escapem do risco de serem pequenos por uma longa parte de sua história de vida. Também lhes permite mais tempo para se reproduzir ao longo de sua vida útil, o que confere uma medida de aptidão evolutiva, geração após geração”, disse a paleontóloga Kristi Curry Rogers do Macalester College em Minnesota, principal autora do estudo publicado este mês na revista científica Plos One.

    Os pesquisadores examinaram padrões preservados dentro dos ossos de dinossauros e alguns de seus primos que habitaram o noroeste da Argentina entre cerca de 231 e 229 milhões de anos atrás.

    “A organização de minúsculos cristais e proteínas ósseas, juntamente com vasos sanguíneos e organização celular, refletem todos a velocidade relativa de crescimento”, disse Curry Rogers. “Claro, todas essas partes moles apodreceram há muito tempo, milhões de anos atrás, quando esses ossos estavam se tornando fósseis. Mas todas as partes duras que persistem ao longo do tempo registram os espaços onde essas partes moles estiveram. Isso nos permite reconstruir e comparar padrões de crescimento entre animais.”

    Os pesquisadores estudaram cinco dinossauros iniciais — todos bípedes, velozes e com mãos com garras, preênseis e dentes afiados.

    Três eram carnívoros, precursores de predadores massivos como o T. Rex e o Giganotossauro. Herrerasaurus e Sanjuansaurus tinham cerca de 3 a 4,5 metros de comprimento, enquanto Eodromaeus tinha o tamanho de um peru.

    Os outros dois — Eoraptor e Chromogisaurus, do tamanho de um peru — foram precursores de gigantes quadrúpedes com pescoço longo, como Argentinosaurus e Dreadnoughtus.

    Todos os cinco mostraram sinais de crescimento excepcionalmente rápido.

    Mas os pesquisadores também tiveram uma surpresa ao descobrir que alguns dos répteis não dinossauros nesses antigos ecossistemas argentinos estavam acompanhando o ritmo, tendo suas próprias taxas de crescimento rápidas.

    “Os dinossauros surgiram de origens humildes, começando como pequenos carnívoros bípedes, que por si só eram dominados por uma grande variedade de outros répteis governantes”, disse Curry Rogers.

    Crescimento rápido foi detectado no temível Saurosuchus quadrúpede semelhante a um crocodilo, o predador terrestre dominante de seu tempo com cerca de 7 metros de comprimento, bem como nos parentes de crocodilo Proterochampsa e Trialestes.

    Outros animais, incluindo o réptil herbívoro com presas Hyperodapedon e o réptil parecido com um mamífero Exaeretodon, também cresceram rapidamente, mas pausavam regularmente seu crescimento ao longo da vida — um padrão distinto do rápido crescimento contínuo dos dinossauros.

    Os primeiros dinossauros e esses outros animais evoluíram durante o Período Triássico. Isso ocorreu após a pior extinção em massa da Terra, há 252 milhões de anos, no final do Período Permiano. Cerca de 95% das espécies foram perdidas em meio a severas mudanças climáticas aparentemente causadas por maciça atividade vulcânica na Sibéria.

    “Como esses dinossauros compartilhavam suas taxas de crescimento rápido com vários outros animais que são parentes distantes, parece que crescer rápido era bom para todos em um mundo turbulento”, disse Curry Rogers. “O crescimento rápido, combinado com tantos outros aspectos únicos da fisiologia, biologia e comportamento dos dinossauros, provavelmente deu aos dinossauros uma vantagem. Mas foi essa combinação única — não a única característica de crescer rapidamente — que deu aos dinossauros seu impulso evolutivo.”

    Outra extinção em massa no final do Triássico, cerca de 201 milhões de anos atrás, condenou muitos dos primeiros competidores dos dinossauros, permitindo que eles afirmassem o verdadeiro domínio.

    “Conforme o tempo continuasse passando, os dinossauros manteriam essas taxas de crescimento elevadas, enquanto seus parentes não dinossauros diminuiriam o ritmo”, disse Curry Rogers. “Essas mudanças acompanham grandes transformações na diversidade ao longo desse período. À medida que os dinossauros se tornam mais diversificados, seus primos crocodilos se canalizam para uma gama muito mais restrita de padrões de crescimento e estilo de vida.”