Engenheiros criam os menores robôs ambulantes por controle remoto do mundo

Robô tem cerca de meio milímetro de largura, o que é menor do que a espessura de um centavo dos Estados Unidos

Caranguejo robótico pode se equilibrar em uma moeda de um centavo
Caranguejo robótico pode se equilibrar em uma moeda de um centavo Universidade Northwestern

Megan Marplesda CNN

Ouvir notícia

Para esses minúsculos caranguejos robóticos, ser pequeno é uma virtude.

Engenheiros da Universidade Northwestern, de Illinois, nos Estados Unidos, inventaram o menor robô móvel controlado remotamente do mundo, de acordo com uma pesquisa publicada na revista Science Robotics.

Cada um tem cerca de meio milímetro de largura, o que é menor do que a espessura de um centavo dos Estados Unidos.

Levou um ano e meio para criar as minúsculas criaturas de metal, disse o coautor John A. Rogers, professor de Ciência e Engenharia de Materiais do centro de pesquisa Louis Simpson e Kimberly Querrey da Universidade Northwestern.

Sua equipe era composta por estudantes de vários níveis acadêmicos que combinaram habilidades de pensamento crítico e criativo para projetar robôs que pareciam caranguejos, bem como outros animais, como minhocas e grilos, disse ele.

Alguns alunos acharam divertido o movimento lateral dos caranguejos, que foi a inspiração por trás do robô caranguejo, disse Rogers. O pequeno robô também pode torcer, girar e pular, acrescentou.

Dando vida aos robôs

Os robôs, feitos de uma liga maleável com memória de forma, começam como objetos planos, semelhantes a um pedaço de papel. As pernas e os braços estão dobrados para que o robô possa ficar de pé, disse ele. O caranguejo fica de pé até que o calor seja usado para fazer o caranguejo se mover, disse Rogers.

Um objeto metálico feito de liga com memória de forma pode ser deformado, mas retorna à sua forma original quando o calor é aplicado a ele, explicou ele.

** Imagem deve ser usada apenas nesta matéria específica **
Menor robô controlado remotamente do mundo é capaz de se mover com a ajuda de lasers / Foto: Universidade Northwestern

A forma “original” do caranguejo é quando está plano, enquanto o estado “deformado” é quando os braços e as pernas estão dobrados.

O caranguejo fica de pé até que o calor dos lasers seja usado para fazer o caranguejo se mover, disse Rogers.

A equipe aqueceria certas articulações para devolvê-las parcialmente ao estado original achatado. Quando o calor era aplicado repetidamente em uma sequência específica, os caranguejos eram capazes de se mover, semelhante à forma como os humanos dobram e endireitam as pernas para andar.

Lasers foram usados para aplicar calor em diferentes partes do robô caranguejo para criar movimento, de acordo com Rogers.

“Um laser é uma maneira conveniente de fazer isso porque podemos focar a luz em um ponto muito pequeno e podemos escanear esse ponto para iluminar diferentes partes do corpo do robô em uma sequência de tempo”, disse ele.

Um futuro promissor

Os robôs ainda estão em fase de desenvolvimento e foram criados principalmente para fins acadêmicos, mas a tecnologia usada para fazer os pequenos caranguejos tem potencial, disse Rogers.

Pequenos robôs caranguejo podem ser usados para realizar cirurgias minimamente invasivas ou ajudar na montagem e reparo de máquinas de pequena escala, disse ele.

Enquanto isso, Rogers desafiou sua equipe a expandir as capacidades do robô. “Como um objetivo ambicioso, pedi aos alunos que vissem uma maneira de fazer esses robôs voarem – talvez impossível, mas divertido de se pensar”, disse ele.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN