Fim de semana terá alinhamento entre Júpiter e Mercúrio e sobrevoo de asteroide

Confira o calendário de fenômenos espaciais de 2021

Os planetas Júpiter e Mercúrio, respectivamente o maior e o menor planeta do Sistema Solar
Os planetas Júpiter e Mercúrio, respectivamente o maior e o menor planeta do Sistema Solar Foto: Nasa

Megan Marples e Ashley Strickland,

da CNN

Ouvir notícia

O maior e o menor dos planetas do sistema solar estarão alinhados nesta sexta-feira (5).

Mercúrio e Júpiter estarão em conjunção e aparecerão logo acima do horizonte, principalmente pela manhã, de acordo com a Nasa.

Uma conjunção é quando dois objetos aparecem juntos no céu, mesmo que estejam a milhões de quilômetros de distância no universo, de acordo com Thomas Beatty, astrônomo assistente do Observatório Steward da Universidade do Arizona em Tucson.

Segundo o astrônomo, é como um carrossel, com certos animais se alinhando enquanto circulam em torno do centro do brinquedo. “A olho nu, os planetas parecerão duas estrelas brilhantes”, disse Beatty.

A melhor hora para ver a conjunção seria nas primeiras horas da manhã, de acordo com a EarthSky. A visão serão muito melhor no hemisfério sul, devido ao ângulo da Terra no céu.

Asteroide Apophis

Um asteroide sobrevoará nosso planeta entre sexta e sábado (6), também de acordo com a EarthSky. O Apophis, um objeto que mede mais de 400 metros, estará mais próximo da Terra – mais de 16 milhões de quilômetros de nosso planeta ou 44 vezes mais longe do que a Lua – em 5 de março às 18h15, horário de Brasília.

Diferentemente da conjunção de planetas, ele provavelmente não será visível a olho nu, disse Beatty. Os observadores do espaço podem ver o voo do asteroide online gratuitamente através do Virtual Telescope Project em Roma.

Quando o asteroide foi descoberto pela primeira vez em 2004, os cientistas acreditavam que ele tinha uma pequena chance de atingir a Terra em 2029, disse Beatty. Era uma chance em 10 mil de colisão, mas dados os danos que causaria, “uma em 10.000 é inaceitável do ponto de vista da humanidade”, disse ele.

Felizmente, o sobrevoo do Apophis em 2013 permitiu que os cientistas coletassem melhores medições e os novos números mostram que as chances são extremamente baixas.

Ele disse que o grande asteroide ainda estará passando perto em 2029, a cerca de 38 mil quilômetros da Terra, de acordo com a EarthSky, e será mais fácil de ver no céu em comparação com o sobrevoo deste ano.

Chuvas de meteoros

Outro fenômeno esperado é a próxima chuva de meteoros, as famosas Líridas, em abril. A chuva de meteoros atingirá o pico em 22 de abril e será mais visível no hemisfério norte. Só que a Lua estará 68% cheia, de acordo com a American Meteor Society.

A chuva de meteoros Eta-Aquarídeos vem logo em seguida, com pico em 5 de maio, quando a Lua está 38% cheia. A observação será melhor nos trópicos do sul, com uma chuva média para aqueles ao norte da Linha do Equador.

A Delta-Aquarídeos também será mais visível nos trópicos do sul e atingirá o pico entre 28 e 29 de julho, quando a Lua estará 74% cheia.

Curiosamente, outra chuva de meteoros atinge o pico na mesma noite: as Alfa-Capricornídeos. Embora seja uma chuva muito mais fraca, sabe-se que produz algumas bolas de fogo brilhantes durante o pico. E será visível para aqueles em ambos os lados do Equador.

A chuva de meteoros Perseidas, a mais popular do ano, terá seu pico entre 11 e 12 de agosto no Hemisfério Norte, quando a lua está apenas 13% cheia.

Aqui está a programação da chuva de meteoros para o resto do ano, de acordo com a previsão de chuva de meteoros da EarthSky.

  • 8 de outubro: Draconídeos
  • 21 de outubro: Orinídeos
  • 4 e 5 de novembro: Taurídeos do Sul
  • 11 e 12 de novembro: Taurídeos do Norte
  • 17 de novembro: Leônidas
  • 13 a 14 de dezembro: Geminídeos
  • 22 de dezembro: Ursídeos

Eclipses solares e lunares

O ano de 2021 terá dois eclipses solares e dois lunares. 

Um eclipse total da Lua ocorrerá em 26 de maio, com melhor visibilidade para aqueles no oeste da América do Norte e Havaí das 6h46 às 7h51 da manhã.

Um eclipse anular do Sol acontecerá em 10 de junho, visível das 2h12 às 7h11. O Sol não será totalmente bloqueado pela Lua, portanto será preciso usar óculos de eclipse para ver este evento com segurança.

Entre 18 e 19 de novembro, um eclipse parcial da Lua poderá ser observado entre 23h e 5h06.

E o ano termina com um eclipse total do Sol em 4 de dezembro. Pessoas nas Ilhas Falkland, no extremo sul da África, na Antártida e no sudeste da Austrália serão capazes de identificá-lo.

Eclipse solar - Curitiba (PR)
Eclipse solar parcial em Curitiba (PR) em 2020
Foto: GISELE PIMENTA/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

Planetas visíveis

Os observadores do céu terão múltiplas oportunidades de localizar os planetas em nosso céu durante certas manhãs e noites ao longo de 2021, de acordo com o guia planetário do “Farmer’s Almanac”.

É possível ver a maioria deles a olho nu, com exceção do distante Netuno, mas binóculos ou um telescópio fornecerão a melhor visão.

Mercúrio parecerá uma estrela brilhante no céu da manhã de 28 de fevereiro a 20 de março, de 27 de junho a 16 de julho e de 18 de outubro a 1º de novembro. Ele brilhará no céu noturno de 3 de maio a 24 de maio, de 31 de agosto a 21 de setembro e de 29 de novembro a 31 de dezembro.

Vênus, nosso vizinho mais próximo no sistema solar, aparecerá no céu ocidental ao anoitecer nas noites de 24 de maio a 31 de dezembro. É o segundo objeto mais brilhante em nosso céu depois da Lua.

Marte faz sua aparência avermelhada no céu da manhã entre 24 de novembro e 31 de dezembro e será visível no céu noturno entre 1º de janeiro e 22 de agosto.

Júpiter, o maior planeta do nosso sistema solar, é o terceiro objeto mais brilhante do nosso céu. Ele estará em exibição no céu da manhã entre 17 de fevereiro e 19 de agosto. Procure-o nas noites de 20 de agosto a 31 de dezembro, mas o planeta estará mais claro de 8 de agosto a 2 de setembro.

Os anéis de Saturno são visíveis apenas através de um telescópio, mas o próprio planeta ainda pode ser visto a olho nu nas manhãs de 10 de fevereiro a 1º de agosto e nas noites de 2 de agosto a 31 de dezembro. Ele estará no seu auge entre 1 e 4 de agosto.

Binóculos ou um telescópio ajudarão você a detectar o brilho esverdeado de Urano nas manhãs de 16 de maio a 3 de novembro e nas noites de 1º de janeiro a 12 de abril e 4 de novembro a 31 de dezembro – mas com maior intensidade entre 28 de agosto a 31 de dezembro.

E nosso vizinho mais distante no sistema solar, Netuno, será visível através de um telescópio nas manhãs de 27 de março a 13 de setembro e nas noites de 14 de setembro a 31 de dezembro. Ele estará no seu auge entre 19 e 8 de agosto.

(Texto traduzido. Clique aqui para ler o original em inglês).

Mais Recentes da CNN