Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Fósseis de réptil parecido com crocodilo são achados no Brasil

    Parvosuchus aurelioi viveu há cerca de 237 milhões de anos, no Período Triássico

    Fóssil do crânio do réptil Gracilisuchidae, do Período Triássico, na Universidade Federal de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, Brasil
    Fóssil do crânio do réptil Gracilisuchidae, do Período Triássico, na Universidade Federal de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, Brasil Rodrigo Temp Müller/Divulgação via REUTERS

    Da Reuters Brasília

    Um cientista brasileiro identificou fósseis de um pequeno réptil similar a um crocodilo que viveu no Período Triássico, milhões de anos antes dos primeiros dinossauros.

    Os fósseis do predador, chamado Parvosuchus aurelioi, incluem um crânio completo, 11 vértebras, a pélvis e alguns ossos dos membros, segundo o paleontologista Rodrigo Müller, da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), autor da pesquisa publicada na quinta-feira (20) na revista Scientific Reports.

    O Parvosuchus, que viveu há cerca de 237 milhões de anos, era quadrúpede e media cerca de um metro. Suas presas eram répteis menores. Os fósseis foram encontrados no sul do Brasil.

    Parvosuchus, que significa “pequeno crocodilo”, pertencia à extinta família de répteis chamada Gracilisuchidae, que até o momento havia sido encontrada apenas na Argentina e na China.

    “Os Gracilisuchidae são organismos muito raros no mundo dos fósseis”, disse Muller à Reuters.

    “Este grupo é particularmente interessante, porque viveram antes da chegada dos dinossauros. Os primeiros dinossauros viveram há 230 milhões de anos.”

    O Parvosuchus era um predador terrestre. Os Gracilisuchidae representam um dos primeiros ramos de uma linhagem conhecida como Pseudosuchia, que mais tarde incluiu o crocodilo. Ele viveu em uma época de inovação evolutiva após a pior extinção em massa na Terra — há 252 milhões de anos — com vários grupos de répteis competindo antes de os dinossauros tornarem-se finalmente dominantes.

    Os últimos membros dos Gracilisuchidae morreram cerca de sete milhões de anos antes dos primeiros dinossauros.

    Cientistas descobrem nova espécie de dinossauro anão no interior de SP

    *Com reportagem da Reuters TV