Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Funcionários processam Twitter após serem informados sobre demissões em massa

    Via e-mail a empresa notificou os funcionários que receberão um aviso até as 13h (horário de Brasília) desta sexta informando-os sobre o status de emprego

    Donie O'Sullivando CNN Business

    Elon Musk começará a demitir funcionários do Twitter nesta sexta-feira (4), de acordo com um memorando enviado à equipe, enquanto vários funcionários da plataforma entram com ação coletiva alegando que as demissões violam a lei trabalhista.

    O e-mail enviado na quinta-feira (3) à noite notificou os funcionários de que eles receberão um aviso até as 13h (horário de Brasília) desta sexta, informando-os sobre seu status de emprego.

    “Se o seu emprego não for afetado, você receberá uma notificação por meio de seu e-mail do Twitter”, disse uma cópia do e-mail obtida pela CNN. “Se o seu emprego for afetado, você receberá uma notificação com as próximas etapas por meio de seu e-mail pessoal”.

    O e-mail acrescentou que “para ajudar a garantir a segurança” dos funcionários e dos sistemas do Twitter, os escritórios da empresa “serão temporariamente fechados e todo o acesso por crachá será suspenso”. O e-mail concluiu reconhecendo que será “uma experiência incrivelmente desafiadora” para a força de trabalho.

    O memorando vem depois de notícias de que Elon Musk planejava demitir até metade da equipe da empresa depois de adquiri-la na semana passada por US$ 44 bilhões.

     

    A ação coletiva movida na quinta alega que o Twitter está violando a Lei Federal de Notificação de Ajuste e Retreinamento do Trabalhador depois de demitir alguns funcionários. A lei exige que um empregador com mais de 100 funcionários forneça um aviso prévio por escrito de 60 dias antes de uma demissão em massa “que afete 50 ou mais funcionários em um único local de trabalho”.

    “Elon Musk, o homem mais rico do mundo, deixou claro que acredita que cumprir as leis trabalhistas federais é ‘trivial'”, disse a advogada Shannon Liss-Riordan, que entrou com o processo, em comunicado à CNN. “Apresentamos esta queixa federal para garantir que o Twitter seja responsabilizado por nossas leis e para evitar que os funcionários do Twitter assinem seus direitos sem saber”.

    O Twitter tinha cerca de 7.500 funcionários antes da aquisição de Musk.

    Musk começou seu mandato no Twitter demitindo o CEO Parag Agrawal e dois outros executivos, de acordo com duas pessoas familiarizadas com a decisão.

    Em menos de uma semana desde que Musk adquiriu a empresa, seu C-suite parece ter sido quase totalmente eliminado, por meio de uma mistura de demissões e demissões. Musk também dissolveu o antigo conselho de administração do Twitter.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original