Guerra na Ucrânia: Samsung suspende envio de produtos à Rússia

Samsung tem mais mercado de smartphones na Rússia do que a Apple

Logotipo da Samsung em feira de las Vegas.
Logotipo da Samsung em feira de las Vegas. 7/1/2013. REUTERS/Rick Wilking

Ingrid Oliveirada CNN

Ouvir notícia

A Samsung suspendeu as remessas de smartphones e chips para a Rússia “devido aos atuais desenvolvimentos geopolíticos”, disse a empresa no sábado (5) à Bloomberg.

A companhia diz estar “monitorando ativamente essa situação complexa para determinar os próximos passos”.

A decisão vem após a invasão à Ucrânia, no dia 24 de fevereiro.

As exportações para a Rússia de todos os produtos da Samsung, de chips a smartphones e eletrônicos de consumo, foram suspensas, segundo uma pessoa a par do assunto.

A medida é mais uma das muitas sanções que a algumas indústrias impuseram à Rússia, após a guerra na Ucrânia.

Na sexta-feira passada (4), Mykhailo Fedorov, vice-primeiro-ministro da Ucrânia e ministro da transformação digital, pediu à Samsung  para  interromper temporariamente o fornecimento de serviços e produtos na Rússia enviando uma carta ao vice-presidente da Samsung, Han Jong-hee. A informação foi compartilhada via Twitter.

 

De acordo com Bloomberg, a Samsung está doando US$ 6 milhões, incluindo US$ 1 milhão em produtos eletrônicos de consumo, para esforços humanitários na região da guerra na Ucrânia.

A Samsung, com sede na Coréia, é a líder em vendas de smartphones na Rússia, com uma participação de mercado acima de 30%. As vendas de smartphones na Rússia representam cerca de 4% da receita global da empresa com os celulares.

 

Mais Recentes da CNN