Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Icônicos anéis de Saturno estão desaparecendo

    Pesquisadores estimam que os anéis terão apenas mais algumas centenas de milhões de anos, no máximo

    Anéis de Saturno poderão desaparecer
    Anéis de Saturno poderão desaparecer NASA/JPL-Caltech/Space Science Institute

    Ashley Stricklandda CNN

    Os icônicos anéis gelados de Saturno podem não estar por perto para futuros observadores do céu vislumbrarem através de seus telescópios, de acordo com uma nova pesquisa.

    Uma nova análise dos dados capturados pela missão Cassini da Nasa, que orbitou o planeta gigante gasoso entre 2004 e 2017, revelou novas informações sobre há quanto tempo os anéis existem e quando podem desaparecer de vista. As descobertas foram compartilhadas em três estudos publicados em maio.

    Nosso sistema solar e seus planetas se formaram há cerca de 4,6 bilhões de anos, e os cientistas há muito debatem a idade e a origem dos anéis de Saturno. Alguns astrônomos argumentaram que os anéis brilhantes e gelados devem ser mais jovens do que o esperado porque não foram erodidos e escurecidos por interações com meteoroides ao longo de bilhões de anos.

    Os dados da Cassini levaram a uma nova descoberta, publicada em 15 de maio na revista Icarus, que apoia essa teoria dos anéis que aparecem muito depois da formação inicial de Saturno. Estudos adicionais publicados em 12 de maio na Science Advances e em 15 de maio na Icarus, respectivamente, chegaram a conclusões semelhantes.

    “Nossa conclusão inevitável é que os anéis de Saturno devem ser relativamente jovens para os padrões astronômicos, com apenas algumas centenas de milhões de anos”, disse Richard Durisen, professor emérito de astronomia na Indiana University Bloomington e principal autor de ambos os estudos da revista Icarus, em um comunicado.

    “Se você olhar para o sistema de satélites de Saturno, há outras dicas de que algo dramático aconteceu lá nas últimas centenas de milhões de anos. Se os anéis de Saturno não são tão antigos quanto o planeta, isso significa que algo aconteceu para formar sua incrível estrutura, e isso é muito emocionante de se estudar”.

    É provável que os sete anéis ainda estivessem se formando quando os dinossauros vagavam pela Terra, de acordo com os pesquisadores.

    Informações da Cassini

    Os anéis de Saturno são em grande parte compostos de gelo, com apenas uma pequena porcentagem pertencente à poeira rochosa criada no espaço por fragmentos de asteroides e micrometeoroides. As peças, semelhantes a grãos de areia, colidem com partículas nos anéis de Saturno e criam detritos flutuantes à medida que o material do anel orbita o planeta.

    Durante o Grand Finale da Cassini, quando a espaçonave completou 22 órbitas nas quais passou entre Saturno e seus anéis, os pesquisadores conseguiram obter dados sobre quantos meteoroides poluem os anéis, a massa dos próprios anéis e a taxa com que o material do anéis cai sobre o planeta. Todos os dados pareciam apontar para a mesma descoberta sobre a idade mais jovem dos anéis de Saturno.

    Os pesquisadores conseguiram avaliar quanta poeira cósmica, que se move regularmente pelo nosso sistema solar, se acumulou nos anéis de gelo. Ao longo de 13 anos, o Cosmic Dust Analyzer da Cassini foi capaz de coletar 163 grãos de poeira que se originaram de fora do sistema de Saturno enquanto giravam em torno do gigante gasoso. Os anéis eram surpreendentemente “limpos”, o que sugeria que não deviam existir há tempo suficiente para acumular um excesso de poeira cósmica.

    Enquanto isso, à medida que os meteoroides se infiltram nos anéis, eles empurram o material dentro dos anéis mais internos em direção a Saturno em um ritmo rápido. A Cassini observou que os anéis estavam perdendo muitas toneladas de massa por segundo, o que significa que os anéis não têm muito tempo sobrando, astronomicamente falando. Os pesquisadores estimam que os anéis terão apenas mais algumas centenas de milhões de anos, no máximo.

    Pesquisas anteriores sugeriram que os anéis podem desaparecer dentro de 100 milhões de anos.

    Os anéis de Saturno são feitos de partículas de gelo que variam do tamanho de grãos de areia a pedregulhos / NASA/JPL-Caltech/Space Science Institute

    Mistérios duradouros

    “Mostramos que anéis maciços como os de Saturno não duram muito”, disse Paul Estrada, pesquisador do Ames Research Center da Nasa em Mountain View, na Califórnia, e coautor dos três estudos, em um comunicado.

    “Pode-se especular que os anéis relativamente insignificantes em torno dos outros gigantes de gelo e gás em nosso sistema solar são restos de anéis que já foram maciços como o de Saturno. Talvez em um futuro não tão distante, astronomicamente falando, depois que os anéis de Saturno forem triturados, eles se parecerão mais com os esparsos anéis de Urano.”

    É possível que os anéis escuros em torno de Netuno e Urano já tenham sido maiores e mais brilhantes, semelhantes a como são os anéis de Saturno agora, disseram os pesquisadores.

    Mas o que criou os anéis de Saturno em primeiro lugar? Os cientistas ainda não sabem ao certo, mas é possível que a instabilidade gravitacional tenha destruído algumas das luas geladas que orbitam o planeta gigante, criando material suficiente para ser puxado para anéis de material ao redor de Saturno.

    “A ideia de que os anéis principais icônicos de Saturno podem ser uma característica recente do nosso sistema solar tem sido controversa, mas nossos novos resultados completam um trio de medições da Cassini que tornam essa descoberta difícil de evitar”, disse o pesquisador Jeff Cuzzi, investigador principal na NASA Ames e coautor do artigo de pesquisa sobre Saturno que foi publicado na Science Advances, em um comunicado.

    Futuras missões para estudar algumas das luas de Saturno podem revelar mais informações sobre quais eventos criaram os anéis – e levar a outras descobertas.

    “Se pudermos descobrir o que aconteceu naquele sistema há algumas centenas de milhões de anos para formar os anéis, podemos acabar descobrindo por que a lua de Saturno, Encélado, está expelindo de suas plumas oceânicas profundas de água, gelo e até mesmo material orgânico”, Durisen disse. “Talvez possamos acabar encontrando os blocos de construção da própria vida em Encélado.”

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original