Local esquecido por mais de 90 anos foi lar de humanos da Idade da Pedra, diz estudo

Pesquisadores desenterraram artefatos no sudeste da Inglaterra, onde os primeiros humanos viveram entre 560 mil e 620 mil anos atrás

Ilustração de como as ferramentas manuais podem ter sido usadas pelos primeiros humanos.
Ilustração de como as ferramentas manuais podem ter sido usadas pelos primeiros humanos. Universidade de Cambridge

Katie Huntda CNN

Ouvir notícia

Machados de mão desenterrados de um leito de rio no condado de Kent, no sudeste da Inglaterra, revelaram uma das primeiras comunidades conhecidas da Idade da Pedra no norte da Europa.

Enquanto as ferramentas de pedra foram descobertas na década de 1920 e mantidas no Museu Britânico, um novo estudo as datou com precisão pela primeira vez usando técnicas modernas – confirmando que os primeiros humanos viveram no sul da Grã-Bretanha entre 560 mil e 620 mil anos atrás.

Pesquisadores usaram a datação por radiofluorescência infravermelha (IR-RF), uma técnica que determina o ponto em que certos grãos minerais em rocha e areia foram expostos pela última vez à luz solar, estabelecendo assim quando os itens foram enterrados.

“A diversidade de ferramentas é fantástica. Na década de 1920, o local produziu alguns dos primeiros machados de mão já descobertos na Grã-Bretanha. Agora, pela primeira vez, encontramos evidências raras de ferramentas de raspagem e perfuração nesta idade muito antiga”, disse Alastair Key, professor assistente de arqueologia paleolítica da Universidade de Cambridge, que dirigiu a escavação do local, em um comunicado à imprensa.

Na época em que essas ferramentas foram usadas, a Grã-Bretanha não era uma ilha, mas parte do continente europeu. Isso permitiu que os moradores da área — que teriam vivido como caçadores-coletores — se deslocassem por uma paisagem muito maior do que a atual costa de Kent, que fica perto do sítio arqueológico de Fordwich, onde as ferramentas foram encontradas, perto de Canterbury.

As ferramentas teriam sido usadas por um ancestral dos neandertais, conhecido como Homo heidelbergensis, que comia uma grande variedade de plantas e animais. A maioria das 330 ferramentas desenterradas até agora teria sido usada para cortar carcaças de animais.

No entanto, os artefatos de raspagem e perfuradores que foram descobertos durante as escavações recentes no local podem ter sido usados ​​para manejar peles de animais, possivelmente para roupas ou abrigos.

Machado de mão descoberto em Kent, no sudeste da Inglaterra, foi feito pelos primeiros humanos há mais de meio milhão de anos. /

Isso sugere que a comunidade não era apenas um grupo pioneiro sobrevivente nas bordas da Europa, mas um que prosperou na área, de acordo com a pesquisa publicada na revista Royal Society Open Science.

Os pesquisadores acreditam que as populações europeias de Homo heidelbergensis evoluíram para os neandertais, um grupo de humanos primitivos que viveu por 350 mil anos antes de desaparecer há cerca de 40 mil anos. Acredita-se que uma população separada de Homo heidelbergensis na África tenha evoluído para Homo sapiens.

Sabe-se que os primeiros humanos estiveram presentes na Grã-Bretanha desde 840 mil – e potencialmente 950 mil – anos atrás, mas essas primeiras visitas foram rápidas. Uma coleção de pegadas em Happisburgh em Norfolk atualmente representa a evidência mais antiga de hominídeos ocupando a Grã-Bretanha.

Períodos glaciais frios expulsaram repetidamente as populações do norte da Europa e, até agora, havia apenas evidências limitadas de humanos habitando a Grã-Bretanha durante o período quente entre 560 mil e 620 mil anos antes do presente, observou o estudo.

O local em Kent foi “esquecido por mais de 90 anos”, de acordo com o estudo.

“Há muito a descobrir sobre essas populações. Em particular, esperamos em futuras escavações encontrar restos esqueléticos dos indivíduos que produziram essas ferramentas de pedra, pois são muito raras na Grã-Bretanha”, disse Matthew Skinner, paleoantropólogo da Universidade de Kent, que ajudou a liderar a escavação.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN