Nasa confirma que Perseverance coletou 1ª amostra do solo de Marte com sucesso

Novas imagens com melhor iluminação revelam que o rover coletou com sucesso uma amostra de rocha marciana na semana passada

Nova imagem divulgada pela Nasa confirma que Perserverance coletou amostra do solo de Marte
Nova imagem divulgada pela Nasa confirma que Perserverance coletou amostra do solo de Marte Nasa/JPL-Caltech

Ashley Stricklandda CNN

Ouvir notícia

Enquanto o mundo aproveitava o fim de semana na Terra, o rover Perseverance trabalhava arduamente para fazer história em Marte.

Novas imagens com melhor iluminação revelam que o rover coletou com sucesso uma amostra de rocha marciana na semana passada. Agora, o Perseverance está processando e selando o tubo de amostra. É a primeira amostra do núcleo de rocha de Marte a ser armazenada no equipamento.

É a primeira das mais de 30 amostras marcianas que serão devolvidas à Terra em missões futuras a partir de 2030 – e elas podem revelar se alguma vez existiu vida microbiana em Marte.

O rover Perseverance perfurou uma rocha marciana em 2 de setembro, mas a equipe na Terra queria imagens melhores para ter certeza de que a amostra estava segura no tubo.

As imagens iniciais e os dados enviados pelo rover sugeriram que uma amostra intacta estava dentro do tubo depois que o Perseverance perfurou uma rocha selecionada pela equipe científica da missão.

Depois que essas imagens foram tiradas, o rover vibrou a broca e o tubo por cinco rajadas de um segundo para limpar qualquer material residual de fora do tubo. É possível que isso tenha causado o deslizamento da amostra para dentro do tubo, dificultando a visualização.

As próximas imagens tiradas depois disso foram “inconclusivas devido às más condições de luz solar”, de acordo com a agência. A Perseverance passou os próximos dois dias usando suas câmeras para tirar mais fotos em melhores condições de iluminação antes de conduzir as próximas etapas do processo de amostragem.

A etapa extra de obter imagens adicionais antes de lacrar e guardar o tubo de amostra foi adicionada depois que o Perseverance tentou perfurar outro alvo de rocha em 5 de agosto. Durante essa tentativa, a rocha se desintegrou e não havia amostra presente no tubo armazenado.

“O projeto tem seu primeiro núcleo de rocha, e isso é uma realização fenomenal”, disse Jennifer Trosper, gerente de projeto para a missão no Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa em Pasadena, Califórnia, em um comunicado.

“A equipe determinou um local, selecionou e extraiu uma rocha viável e cientificamente valiosa. Fizemos o que fomos fazer.”

O rover usa uma broca de percussão rotativa e uma broca de núcleo oco para perfurar rochas e coletar amostras um pouco mais grossas do que um lápis. Este sistema de amostragem está localizado na extremidade do braço robótico do rover que tem 2 metros de comprimento.

O Perseverance está explorando a localização da Citadelle na cratera de Jezero, que bilhões de anos atrás já foi o local de um antigo lago. O alvo específico do rover era uma rocha chamada Rochette, que tem o tamanho de uma pasta e faz parte de um cume de 800 metros de afloramentos rochosos e pedregulhos.

Voando sobre Marte

Imagem capturada pelo helicóptero Ingenuity sobre a região de South Seítah, em Marte
Imagem capturada pelo helicóptero Ingenuity sobre a região de South Seítah, em Marte / Nasa/JPL-Caltech

O helicóptero Ingenuity também tem estado ocupado, atuando como um explorador aéreo para as futuras aventuras do rover. O pequeno helicóptero completou com sucesso seu 13º voo em Marte no fim de semana.

Ele voou a uma velocidade ligeiramente mais lenta de 3,3 metros por segundo sobre a região de South Seítah e tirou uma infinidade de fotos.

O 12º voo do helicóptero também foi nesta região, que pode ser de valioso interesse para a equipe de ciência do rover. O 13º voo viu o Ingenuity se movendo em uma direção diferente sobre South Seítah para capturar uma perspectiva diferente.

Durante o 12º voo, os cientistas ficaram intrigados com uma linha de cume em particular e seus afloramentos rochosos. Portanto, o Ingenuity voou a uma altitude mais baixa do que o normal, deslizando 8 metros sobre a área em vez de 10 metros.

Agora, a equipe de ciência tem imagens que mostram essa área geologicamente intrigante tanto do nordeste quanto do sudoeste. Juntas, as imagens podem ajudar a equipe do Perseverance a determinar para onde o rover deve dirigir a seguir – e onde coletar mais amostras.

(Texto traduzido; leia o original em inglês)

Mais Recentes da CNN