Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Quando vai ser o eclipse solar total de 2024? Saiba como observar

    O fenômeno não será visível no Brasil mas terá transmissões ao vivo

    Eclipse solar total em 2017 visto de Madras, em Oregon
    Eclipse solar total em 2017 visto de Madras, em Oregon NASA/Aubrey Gemignani

    Giovana Christda CNN

    No dia 8 de abril, quem estiver na América do Norte vai poder assistir a um eclipse solar total, que é quando a Lua, a Terra e o Sol ficam completamente alinhados e os raios solares são bloqueados por alguns minutos.

    Esse eclipse será diferente dos últimos dessa categoria, por durar cerca de dois minutos a mais e pela coroa solar (sua camada mais externa) ser mais visível do que no último, em 2017. Além disso, um evento como esse só acontecerá de novo em 2044.

    Mesmo não sendo visível no Brasil, é possível acompanhar o eclipse através dos canais e redes sociais na Nasa.

     

    O fenômeno começará a ser visível às 16h (horário de Brasília), na costa do México, e terminará às 17h (horário de Brasília), na costa Atlântica do Canadá. A Nasa disponibilizou uma tabela com os momentos em que o eclipse será visível em cada parte dos Estados Unidos.

    A agência tem grandes expectativas sobre o número de estadunidenses que irão assistir ao fenômeno em 2024, já que o caminho que o eclipse vai percorrer passa por mais cidades e áreas densamente povoadas do que o de 2017.

    O eclipse será visto em praticamente todo o território dos EUA, mas somente 31,6 milhões de pessoas vão ver o fenômeno de forma total, em comparação com os 12 milhões de 2017. Os demais poderão apreciar somente o eclipse parcial.

    O que é um eclipse solar?

    Eclipses acontecem quando um objeto no espaço, como um planeta ou Lua, passa pela sombra de outro corpo celeste no espaço. Na Terra, podemos ver os lunares e solares.

    O solar ocorre quando a Lua está posicionada entre o Sol e a Terra, impedindo que a luz atinja alguns pontos do nosso planeta. Estando em um lugar em que ele é total, é possível ver a Lua bloqueando quase todos os raios de Sol, fazendo com que o dia fique tão escuro quanto a noite.

    Os eclipses solares totais acontecem a cada 18 meses e duram poucos minutos, enquanto os parciais — em que a Lua não cobre completamente o Sol — ocorrem pelo menos duas vezes por ano em algum local da Terra.

    O fenômeno é classificado em três tipos:

    • Eclipse solar total: Visível apenas em uma pequena área da Terra, quando a pessoa está no centro da sombra da Lua, quando ela atinge a Terra. Para que ocorra um eclipse total, o Sol, a Lua e a Terra devem estar completamente alinhados.
    • Eclipse solar parcial: Acontece quando o Sol, a Lua e a Terra não estão exatamente alinhados. O Sol parece ter uma sombra escura numa pequena parte da sua superfície.
    • Eclipse solar anular: É quando a Lua está mais distante da Terra e parece menor. Por não bloquear toda a visão do Sol, a Lua fica parecendo um disco escuro na frente do astro.
    • Eclipse solar híbrido: Quando há mais de um tipo de eclipse solar no mesmo dia, é o mais raro tipo que existe.
    Funcionários da Nasa assistindo ao eclipse solar total de 2017 / NASA/Gwen Pitman

    Não olhe para o sol sem proteção

    Se você estiver nos locais em que o fenômeno será visível, saiba que não é seguro olhar para um eclipse solar sem equipamentos adequados, pois pode causar lesões graves nos olhos. Também não é recomendado vê-lo por lentes de câmera, binóculos ou telescópios sem um filtro adequado.

    O ideal é utilizar lentes com padrão ISO 12312-2, que não estão presentes em óculos de sol normais. Não importa o quão escuro sejam, eles não são seguros para observar um eclipse. Se você não tiver acesso a um equipamento adequado, pode assistir ao eclipse com formas alterativas, como em projeções de papelão ou de telescópios e binóculos.

    Também será possível assistir ao eclipse em transmissões online.

    Eclipse ao vivo pela Nasa

    A agência fará a cobertura ao vivo do eclipse na NASA+ (streaming gratuito), no site da agência e no aplicativo. O evento acontecerá entre as 16h e 17h no horário de Brasília.

    A Nasa também fará a cobertura ao vivo em suas contas no Facebook, X, YouTube e Twitch, além de publicar imagens do eclipse feitas em telescópios no canal da NASA TV e no YouTube.