Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Retomar aprendizagem é o principal desafio nas redes municipais, diz Unicef

    Oficial de Educação do Unicef no Brasil, Julia Ribeiro, avaliou que em mais de 85% das cidades pesquisadas, as escolas e as Secretarias de Educação têm trabalhado de forma colaborativa

    Estudantes de máscara acompanham aula em escola da Zona Leste de São Paulo
    Estudantes de máscara acompanham aula em escola da Zona Leste de São Paulo ESTADÃO CONTEÚDO

    Bruna SalesProduzido por Bel Camposda CNN

    “Após dois anos de pandemia, o principal desafio com o qual as redes de ensino trabalham é a recuperação da aprendizagem”, afirmou a oficial de Educação do Unicef no Brasil, Julia Ribeiro.

    Em entrevista à CNN Rádio, a especialista repercutiu os dados de um estudo realizado pela União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) com apoio do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e Itaú Social.

    A pesquisa foi feita em 3.245 municípios brasileiros, representando mais de 14,2 milhões de matrículas.

    Em mais de 85% dos municípios pesquisados, “conseguimos identificar que as escolas e as Secretarias de Educação têm trabalhado de forma colaborativa para avaliar as lacunas de aprendizagem e ao mesmo tempo criar estratégias que possam recompor esses saberes, para que esses meninos e meninas possam avançar”, disse Julia Ribeiro.

    As atividades de recomposição da aprendizagem têm acontecido, majoritariamente, de maneira presencial — com atividades no mesmo turno ou no contraturno escolar. Atividades de recuperação remota são citadas por menos de 4% das redes.

    De acordo com a oficial de Educação do Unicef, ofertar aulas de recomposição tem desafiado as redes de ensino de formas distintas.

    “As escolas enfrentam dificuldades como falta de condições de logística e infraestrutura, disponibilidade de transporte escolar, alimentação, falta de conectividade para as aulas remotas, e a própria desmotivação dos professores, dos alunos e de seus familiares”, explicou.

    Para apoiar as escolas na oferta de ensino, as redes têm utilizado diferentes estratégias, mensal ou bimestralmente. Entre elas, destaca-se a busca ativa para enfrentar a evasão escolar, realizada por 87% das redes pesquisadas.

    “A gente já consegue identificar a maior quantidade de crianças e adolescentes fora da escola. Por isso, as redes estão investindo em busca ativa de crianças e adolescentes”, disse Julia Ribeiro.

    Vale destacar que a Busca Ativa Escolar é uma ferramenta para apoiar os governos na identificação, registro, controle e acompanhamento de crianças e adolescentes que estão fora da escola ou em risco de evasão.

    Ela foi desenvolvida pelo Unicef, em parceria com a Undime e com apoio do Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social (Congemas) e do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems).