Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Telescópio James Webb analisa galáxia que ainda está formando estrelas

    Definição oferecida pela tecnologia de infravermelho permitiu detalhar o sistema que está em intensa atividade

    À esquerda a galáxia observada pelo Telescópio Espacial Hubble e à direita Telescópio Espacial James Webb, ambos da Nasa
    À esquerda a galáxia observada pelo Telescópio Espacial Hubble e à direita Telescópio Espacial James Webb, ambos da Nasa NASA, ESA, CSA, STScI, A. Bolatto (University of Maryland)

    Giovana Christda CNN

    O Telescópio James Webb permitiu que uma galáxia que ainda está formando estrelas fosse analisada com mais detalhes. A Messier 82 (M82) está sendo observada há anos, porém só agora mais informações sobre sua atividade puderam ser coletadas.

    Localizado a 12 milhões de anos-luz na constelação Ursa Maior, o sistema é relativamente pequeno, mas está em intensa atividade. O estudo da M82 é importante pois ela pode ser a representação de uma galáxia que está formando estrelas.

    Utilizando os dados gerados pelos telescópios Spitzer e Hubble, os cientistas não tinham uma visão completa dessa atividade por conta da grande presença de gás e poeira que ficam na frente das estrelas. Com o maior detalhamento do James Webb, que utiliza a tecnologia do infravermelho, foi possível obter imagens mais precisas para os estudos.

    Na imagem (acima), os pontos em verde representam ferro, remanescente de estrelas supernovas, e os vermelhos, moléculas de hidrogênio iluminadas pela radiação vinda das novas estrelas.

    “Cada ponto branco nesta imagem é uma estrela ou um aglomerado delas. Podemos começar a distinguir todas essas pequenas fontes pontuais, o que nos permite obter uma contagem precisa de todos os aglomerados de estrelas nesta galáxia”, disse Rebecca Levy, uma das autoras do estudo da Universidade do Arizona.