Veja como assistir ao eclipse total da superlua que acontece nesta quarta

Assim como em todo eclipse total, a lua ganhará uma cor avermelhada; céu limpo deve proporcionar melhor visibilidade do fenômeno

Lua de Sangue durante eclipse lunar vista sobre indústria na cidade de Duisburg, na Alemanha (21.jan.2019)
Lua de Sangue durante eclipse lunar vista sobre indústria na cidade de Duisburg, na Alemanha (21.jan.2019) Foto: Marcel Kusch/DPA/AFP/Getty Images

Rafaela Lara, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

 

O céu desta quarta-feira (26) será palco de dois fenômenos simultâneos: um eclipse lunar total e a maior superlua deste ano, chamada de “Lua de Sangue”. E será possível acompanhar esse espetáculo por meio de canais que farão transmissão ao vivo dos fenômenos. A olho nu, o eclipse total será mais difícil de ser observado.

O melhor lugar para visualizar a superlua, de acordo com as projeções da Nasa, será em partes do sudeste da Ásia, Austrália, oeste da América do Norte e todo o México. 

Em algumas localidades do Brasil também será possível observar o céu e identificar os fenômenos. Segundo o astrônomo Carlos Jung, do Observatório Heller & Jung, o eclipse lunar será possível de ser observado a olho nu no céu dos estados do Acre, Rondônia e Amazonas.

“No Brasil, a Lua poderá ser vista quando estiver se pondo a oeste partir das 5:47 h [desta quarta]. No Rio Grande do Norte, Paraíba, Alagoas, Sergipe e Ceará o eclipse não será visível, no caso mais ao leste do nordeste. No Acre, Rondônia e Amazonas, o eclipse poderá ser visto com mais intensidade e por mais tempo”, disse à CNN.

Com o céu limpo, todo o mundo poderá observar a superlua. Segundo o site de astronomia Time and Date, a lua ganhará o tradicional aspecto avermelhado durante 14 minutos.

Superlua é o nome dado para luas novas e cheias que acontecem no perigeu, como é chamado o ponto da órbita lunar mais próximo da Terra. Durante esse período, o satélite fica a 363 mil quilômetros do nosso planeta. Por estar mais perto, a Lua parecerá maior e mais brilhante do que em outras épocas.

Essa é a segunda e a maior superlua deste ano — na primeira, em 26 de abril, o satélite estava 157 km mais longe que desta vez. “A Lua quando está no perigeu, fica aparentemente 15% maior e 30% mais brilhante. A diferença a olho nu, contudo, não é tão perceptível”, explica Jung.

Em São Paulo, segundo o Time and Date, será possível observar a fase penumbral do eclipse a partir das 5h47 (horário de Brasília). A fase penumbral é quando a lua passa apenas pela parte externa mais fraca da sombra da Terra, a penumbra. Por causa disso, pode ser difícil de visualizar o fenômeno, e a lua eclipsada pode parecer uma lua cheia normal.

Segundo Jung, a cor avermelhada se dá justamente em função do satélite estar na chamada “penumbra”. “A Lua adquire uma cor avermelhada em função de estar na penumbra. Ou seja, a parte da sombra da Terra irá bloquear parte da luz do sol, em vez de sua totalidade. Isso resulta em uma redução do brilho da Lua”, explicou.

Pela internet, a transmissão dos fenômenos já está definidaa. O portal Time and Date fará a transmissão ao vivo a partir das 6 horas (horário de Brasília) desta quarta-feira (26). 

 

Mais Recentes da CNN