Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Zona crepuscular: parte misteriosa do oceano guarda criaturas raras e estranhas

    Formalmente conhecida como zona mesopelágica, as águas profundas do oceano aberto guardam espécies que intrigam os cientistas até os dias de hoje; veja fotos

    Thomas Page, CNN

     

    Para encontrar esses animais é preciso acessar as profundezas do oceano até chegar na chamada zona crepuscular. Esta parte misteriosa do oceano, localizada a centenas de metros de profundidade, guarda criaturas majestosas e um tanto esquisitas.

    E são nas águas mais profundas do oceano que a ciência está fazendo descobertas incríveis.

    A zona crepuscular do oceano, formalmente conhecida como zona mesopelágica, é encontrada a a partir de 200 a 1.000 metros abaixo da superfície. 

    Lar de uma variedade de espécies, desde o tamboril à lula vampiro e os chamados sifonóforos, a zona crepuscular é um lugar onde reina, sobretudo, a estranheza. 

    Na escuridão das águas profundas é possível localizar animais de olhos pequenos e dentes grandes, espécies que são transparentes, e muitas outras bioluminescentes. 

    A zona crepuscular é uma área difícil de estudar e muitas vezes esquecida pela ciência, no entanto, novas tecnologias estão ajudando sua exploração, forçando os pesquisadores a reavaliar quanta vida existe lá. 

    Os pesquisadores agora acreditam que há dez vezes – talvez cem vezes – mais biomassa que se pensava anteriormente, diz Heidi Sosik, cientista sênior do Woods Hole Oceanographic Institution (WHOI).

    Peixe das profundezas escuras do oceano é encontrado em praia dos EUA
    ‘Peixe-futebol do Pacífico’, visto nas profundezas escuras do oceano, é encontrado em praia dos EUA
    Foto: Crystal Cove State Park

    A cada resposta obtida, outras muitas perguntas aparecem. “O que sabemos agora é o quanto não sabemos”, disse. Os pesquisadores dessas criaturas, no entanto, continuam a observar a vida marinha no locais mais profundos do oceano aberto. 

    (Esse texto é uma tradução. Para ler o original, em inglês, clique aqui)