Coroação do rei Charles III: Saiba quais os lugares favoritos da família real em Londres

Alguns dos locais são até acessíveis para pessoas que não tem fortunas para gastar em compras e restaurantes

Unsplash

Julia Buckleyda CNN

Ouvir notícia

Membros da realeza? Eles são como nós! Bem, eles não são, obviamente – mas às vezes eles deixam suas tiaras de lado, saem de seus palácios e se juntam às massas em restaurantes, bares e até parques temáticos.

Se você é fã da família real britânica, provavelmente já visitou locais como o Palácio de Buckingham, Windsor e Hampton Court.

Deseja absorver um tipo diferente de atmosfera real? Aqui estão 18 lugares em Londres e arredores onde os Windsors foram vistos caminhando entre os plebeus.

Curry digno de um rei

Brilhante no nome e por natureza, pelo menos segundo o rei Charles III. Certa vez, ele chamou o Brilliant Restaurant em Southall, no oeste de Londres, de seu restaurante indiano favorito – e Gordon Ramsay também é um fã.

Se você estiver voando para Heathrow para sua visita real, isso é uma notícia brilhante – já que o restaurante está a caminho do centro de Londres e a uma caminhada fácil de 12 minutos da estação Southall, que serve a igualmente real Elizabeth Line.

A família Anand abriu o Brilliant em 1975 – hoje é administrado pela terceira geração – e a comida é punjabi com influências quenianas (a família já tinha um restaurante em Nairóbi).

Se preferir algo mais central, a chef Dipna Anand também tem um restaurante no centro da cidade, o Dipna Anand at Somerset House.

Rainhas do chocolate

Rainha Elizabeth II adorava cremes de rosa e violeta / Charbonnel et Walker/Divulgação

A falecida rainha Elizabeth era aparentemente uma grande fã de chocolate – até agora, tão identificável.

O que pode surpreendê-lo, porém, é que seu chocolatier favorito parecia mais francês do que britânico.

O Charbonnel & Walker, no luxuoso bairro comercial de Bond Street, foi fundado em 1875 por duas mulheres: uma chocolatier de Paris, a outra uma artesã de Londres que fazia joias e caixas para chapéus.

A empresa possui um mandado real da falecida rainha desde 1970 – o principal chocolatier revelou anteriormente que sua majestade tinha “gostos muito florais” e deu a entender que gostava de seus cremes de rosa e violeta.

Previsivelmente, eles têm toda uma gama de chocolates e cestos relacionados à coroação. A Charbonnel e Walker aparentemente foram apresentados um ao outro pelo rei Edward 7º antes de sua própria ascensão ao trono.

Bebendo como príncipes

Nos anos 2000, o festeiro príncipe Harry frequentava regularmente o Mahiki, um bar-clube-restaurante com tema Tiki em Mayfair. Está forte desde 2006, em grande parte graças ao patrocínio inicial da então jovem realeza.

Kate e William também eram fãs, e Jack Brooksbank, que agora é casado com a princesa Eugenie, já foi gerente lá.

Experimente o coquetel exclusivo Treasure Chest, do qual William aparentemente gostou: “grog”, Courvoisier e licor de pêssego despejado em um baú de estilo pirata e encharcado com champanhe.

O preço? Isso depende se você está usando Moët, Dom Perignon ou Louis Roederer como mixer. De US$ 199 a US$ 835 – mas serve oito pessoas.

Outro favorito do príncipe Harry, Maggie’s ainda está forte na elegante Sloane Square. É um clube temático dos anos 1980 com o nome de Margaret Thatcher, a ex-primeira-ministra conservadora cuja foto está em toda parte.

Bar LGBTQIA+ onde Diana supostamente pagou uma rodada

Assim diz a história, nos anos 1980, quando a princesa Diana era a mulher mais famosa do planeta, ela se vestiu de travesti para visitar o Royal Vauxhall Tavern, um dos bares LGBTQIA+ mais conhecidos de Londres.

Em suas memórias, a amiga de Diana, a atriz Cleo Rocos, contou sobre uma tarde que passou bebendo com a princesa, o comediante Kenny Everett e o vocalista do Queen Freddy Mercury, seguida de uma viagem à Royal Vauxhall Tavern à noite.

Para evitar ser flagrada, a princesa se vestiu de “jovem bonito” – e ainda conseguiu uma rodada de drinks sem ser flagrada.

Vestidos de princesa

O nome da estilista Jenny Packham tornou-se sinônimo de uma certa Catherine, princesa de Gales, que usa os vestidos de Packham desde os primeiros dias de seu casamento, desde as bolinhas azuis que ela usava ao sair do hospital depois de dar à luz o príncipe George, até o casaco de ouro brilhante que ela usou para a estréia de “No Time to Die”.

Você encontrará sua coleção à pronta entrega em sua loja principal em Mayfair.

Loja de roupas com desconto preferida de Harry

Em seu livro de memórias “Spare”, o príncipe Harry escreveu sobre sair para comprar roupas na T.K. Maxx na Kensington High Street, a poucos minutos a pé de sua casa no Kensington Palace.

Esta é, obviamente, a mesma rede T.J. Maxx nos Estados Unidos – e faz a mesma coisa, vendendo marcas de grife a preços promocionais. Existem filiais espalhadas por toda Londres, para que você possa comprar algumas roupas dignas de um príncipe a um preço mais em conta.

Playground dos príncipes

Lembra daquelas fotos famosas da princesa Diana andando em uma atração de parque temático com William e Harry?

Elas foram tiradas no Thorpe Park, um parque temático a cerca de 40 quilômetros a oeste de Londres, onde a família visitou todos os anos de 1991 a 1993, quando as famosas fotos foram tiradas.

Princesa Diana / Anwar Hussein

A realeza não recebeu nenhum tratamento especial – eles pagaram a entrada e ficaram na fila para os passeios como todos os outros.

O passeio nas fotos, Logger’s Leap, era o maior atração aquática do Reino Unido, mas fechou em 2015, e o parque temático agora quer reconstruir a área ao seu redor. Os passeios de hoje são bem mais complexos – como o Stealth, que vai de zero a 80 km/h em pouco mais de dois segundos.

Bistrô francês de Camilla

A rainha Camilla revelou em uma entrevista no ano passado que um de seus restaurantes favoritos em sua juventude em Londres era o La Poule au Pot, um bistrô francês situado nos bairros centrais de Belgravia e Pimlico, que está em alta desde 1962.

Você também não precisa ter um orçamento real para comer lá – os menus com preço fixo custam US$ 44 para dois pratos ou US$ 50 para três. Os pratos são clássicos franceses básicos, como torta de cebola, ensopado de cassoulet e boeuf bourguignon.

Retiro rural de Meghan

O Soho Farmhouse tem cabines particulares espalhadas por seus terrenos em Oxfordshire / Hannah Miles/Soho House & Co

Meghan, a duquesa de Sussex, há muito é fã do grupo Soho House de clubes privados para membros e fez várias visitas ao Soho Farmhouse, seu posto avançado no estilo resort em Oxfordshire, incluindo uma viagem com amigos antes de seu relacionamento com o príncipe Harry tornar-se público e novamente alguns meses antes do casamento.

Seus 114 quartos estão na fazenda principal, além de cabines e cabanas que ajudam na privacidade, plantadas em mais de 100 acres de campo e até mesmo em um lago artificial.

A quinta também alberga um restaurante e um spa Cowshed. Os quartos custam a partir de US$ 442 por noite, embora sejam incrivelmente procurados e a disponibilidade seja baixa. Os não membros podem tecnicamente reservar quartos nas propriedades da Soho House – mas você precisa fazer um acordo Soho Friends de US$ 130 por ano para reservar.

Um primeiro encontro real

Outro posto avançado da Soho House, a Dean Street, 76, é claro, onde Harry e Meghan tiveram seu primeiro encontro em 2016 – um príncipe suado que se autodenominava preso no trânsito e chegou tarde para encontrar a mulher dos seus sonhos em um coquetel – o que, felizmente, acabou bem.

Embora você precise ser um membro para ir até lá, apenas algumas portas abaixo, no número 69-71, está o Dean Street Townhouse, também propriedade do grupo, mas com um restaurante aberto ao público.

No cardápio peixe chique com batatas fritas à alcatra de cordeiro com repolho e hortelã.

Meghan Markle e príncipe Harry durante entrevista para Oprah Foto: Divulgação/Harpo Productions/Joe Pugliese / Foto: Divulgação/Harpo Productions/Joe Pugliese

Hotel com garantia real

O The Goring sempre foi o hotel de escolha dos Windsors – a rainha-mãe costumava vir aqui para almoçar, dizem os rumores de que a própria rainha era uma visitante discreta, e a então Kate Middleton o usava como quartel-general nupcial para seu casamento de 2011. Era perto dos sogros dela – o hotel fica do outro lado da rua do jardim dos fundos do Palácio de Buckingham.

Único hotel em Londres a ter uma garantia real – essencialmente um voto oficial de confiança da família – ainda é um lugar requintado, conhecido por seus excelentes chás da tarde e seu enorme jardim semi secreto nos fundos, que não é tão grandes quanto os do Palácio de Buckingham, mas nada mal para o centro de Londres.

Real dolce vita

Com seu aceno de cabeça para os escândalos obscenos do ex-primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi, o restaurante italiano Bunga Bunga estava na moda quando abriu em Battersea, no sul de Londres, em 2011.

Harry foi o primeiro membro da realeza a visitar – ele foi visto dançando na rua às 3 da manhã depois de passar a noite lá em 2012 – e William e Kate fizeram uma visita dois anos depois, logo após terem o primeiro filho, o príncipe George.

A filial de Battersea está fechada hoje em dia, mas o Bunga Bunga ainda vive em Covent Garden, ideal para turistas, onde oferece uma “experiência gastronômica imersiva” com cabaré todas as sextas e sábados à noite.

Dia de princesa

A então Meghan Markle foi aparentemente vista no coração de Chelsea enquanto ela estava noiva do príncipe Harry, recebendo um tratamento facial de Sarah Chapman.

Chapman é a especialista das faces das estrelas, com clientes que incluem celebridades como Jourdan Dunn, Gigi Hadid, Victoria Beckham e Uma Thurman.

Ela é conhecida por suas massagens que drenam o excesso de líquido da pele. Os tratamentos faciais custam a partir de £170 por uma hora, ou você pode comprar seus produtos em sua boutique atrás da Sloane Square.

Mas emergir tão impecável quanto a duquesa de Sussex não é garantido.

Royal Box

Como patrona real do All England Lawn Tennis Club, a princesa de Gales faz aparições regulares no Royal Box em Wimbledon durante os campeonatos anuais de tênis de duas semanas – e geralmente é acompanhada por outros membros da família.

O clube oferece passeios durante todo o ano ao museu e aos terrenos, incluindo o Centre Court, onde acontecem as finais – e onde fica o Royal Box. Infelizmente, você não pode sentar lá para uma sessão de fotos – apenas membros do clube (e da realeza) têm acesso, e plebeus não são permitidos.

Lado positivo: você pode ter acesso aos bastidores dos vestiários dos jogadores e tirar aquela foto do Instagram sentado no banco da realeza do tênis, Roger Federer.

Comida caseira saudável

Tanto a princesa de Gales quanto a duquesa de Sussex foram flagradas fazendo compras no supermercado – Kate foi flagrada em uma filial da próspera Waitrose, enquanto Meghan foi vista antes de seu casamento fazendo suas compras na Whole Foods, a cara rede americana que tem filiais no Reino Unido.

O mercado local dela ficava na Kensington High Street – bem em frente à antiga loja favorita de Harry, o T.K. Maxx.

Piquenique para uma princesa

Piquenique fasano boa vista
Piquenique / Tina Bini

Em 2012, a rainha Elizabeth II veio à Fortnum & Mason, a mercearia mais chique de Londres, para tomar um chá da tarde com as então duquesas da Cornualha e Cambridge, para comemorar seus 60 anos no trono. A rainha comentou sobre os cremes violeta, o que sugere que o chocolatier da Carbonnel & Walker não estava mentindo quando disse que eram seus favoritos.

A Fortnum’s foi fundada em 1707 e é mais conhecida por suas sofisticadas cestas de piquenique – se for um bom dia, leve uma ao St James’s Park, com vista do Palácio de Buckingham – para um deleite, e guarde a própria cesta como uma lembrança real.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN