Festivais de gastronomia têm forte retomada e já programam as próximas edições

São Paulo recebeu três grandes eventos no intervalo de um mês; setor aquecido projeta até "2 anos em 1", dado o número de eventos suspensos durante pandemia

Última edição do Churrascada ocorreu no início de agosto e reuniu 42 estações de renomados churrasqueiros
Última edição do Churrascada ocorreu no início de agosto e reuniu 42 estações de renomados churrasqueiros Divulgação

Fred Sabbagcolaboração para o Viagem & Gastronomia São Paulo

Ao lado do setor de bares e restaurantes, um dos mais afetados pela pandemia foi o de eventos. Dados mostram que no primeiro ano da Covid-19, entre março e dezembro de 2020, foi registrado um prejuízo de R$ 270 bilhões, e mais de 3 milhões de pessoas perderam seus empregos.

Esses números mostram os efeitos decorrentes de medidas de combate à pandemia, que foram inegavelmente nocivos, a ponto de dar origem a um plano emergencial de retomada instituído por uma lei editada pelo Congresso Nacional. Mas, felizmente, parece que o fim da crise pode estar bem próximo.

Muito se diz que o setor projeta “2 anos em 1”, dado o grande número de eventos que estavam suspensos para a sua realização e que agora estão sendo realizados. Sentimos isso na pele ao voltar a frequentar festas, casamentos, feiras e outros tipos de eventos que sempre fomos acostumados a ir.

Sei que quem está lendo este texto deve estar se perguntando onde comida e bebida entram nisso. Mas ao meu ver, a participação nestes ventos, tanto do lado do fornecedor (seja ele bar, restaurante ou produtor independente) ou do comensal, é extremamente benéfica e positiva.

Pelo lado do bar, do restaurante e do produtor, é a oportunidade de mostrar seus trabalho para centenas de pessoas, algo que logicamente precisaria de alguns meses ou ano para ocorrer. Além disso, durante esses festivais, o setor consegue faturar em um ou poucos dias o suficiente para equilibrar as contas e tentar sanar os efeitos negativos da pandemia.

O ponto negativo, porém, é a alteração por completo da rotina e do número de pessoas atendidas em um curto período.

Já pelo lado do comensal, a oportunidade é de, em um ou dois dias, experimentar pratos ou bebidas dos mais diversos lugares a um preço bem menor do que o de uma refeição completa nos respectivos estabelecimentos.

O ponto negativo decorre do alto número de visitantes, o que pode causar filas, esgotamento de produtos e demora (o que é comum – basta um pouco de paciência para se divertir).

Retomada dos eventos gastronômicos

O mercado está aquecidíssimo e exemplo disso é a realização de três grandes eventos gastronômicos em um intervalo de um mês apenas em São Paulo.

O primeiro deles foi o Smorgasburg Brasil, considerado o maior festival de gastronomia de rua do mundo, idealizado em Nova York e realizado em cidades como Los Angeles, Miami, Osaka e Tóquio.

Após o sucesso de 2019, o festival só veio a se repetir em São Paulo nos últimos dias 23 e 24 de julho.

Festival de gastronomia
Com entrada gratuita, Smorgasburg aconteceu no Parque do Ibirapuera e registrou mais de 100 mil pessoas em dois dias / Divulgação

Foram 100 operações de comida e bebida, em barracas e food trucks, e a participação de mais de 100 mil pessoas nos dois dias de evento. Segundo os organizadores, a arrecadação aproximada foi de R$ 3 milhões.

E esse sucesso todo e a aceitação do público são alguns dos motivos pelos quais a edição de 2023 já está confirmada para os dias 22 e 23 de julho.

Ao CNN Viagem & Gastronomia, o restauranteur e chef Mario Rosso, da Osteria del Rosso e do Rosso Burger, ressalta a ótima repercussão do evento. Segundo ele, apenas uma das operações vendeu aproximadamente 1.500 sanduíches aos participantes.

“É um grande desafio fazer uma operação como essa. É cansativo, é gigante, é estressante, mas no final, é muito satisfatório”, disse.

Já no último fim de semana foi realizada mais uma edição da Churrascada, cujo nome já entrega que o foco principal é a carne.

Após o trabalho de 650 pessoas para que o evento acontecesse, mais de três mil visitantes compareceram para festejar a cultura do churrasco. Ao todo, foram servidas 18 toneladas de carne em 42 estações, todas comandadas por churrasqueiros conhecidos pelo Brasil.

Para Felipe Aversa, criador e sócio da Churrascada, com o sucesso desta edição, ele já começou a pensar no ano que vem.

Festival de gastronomia
Churrascada vendeu 18 toneladas de carne em 42 estações de churrasqueiros brasileiros / Divulgação

Gustavo Bottino, também idealizador da Churrascada, as pessoas estavam em busca de eventos assim. “Para onde eu olhava só via sorrisos. É o maior presente pra quem se dedica por um ano inteiro para uma festa de 10 horas”, afirma.

Assim como já havia ocorrido no Smogasburg, quando vendeu 1.100 sanduíches do pastrami de sua Labaki Delishop, Paula Labaki também participou da Churrascada.

A chef, que tem experiência em festivais dessa natureza ao redor do mundo, destaca o desafio que é participar desses eventos.

“É uma experiência incrível, porque você tem que se moldar. Você sai da sua cozinha e vai trabalhar em um ambiente que nada tem a ver com ela, mas é lindo ver o público comendo sua comida”.

Também neste mês, nos próximos dois fins de semana, acontece mais um Taste São Paulo Festival, filial paulista do evento Taste Festivals, que conta com a curadoria de Luiz Américo Camargo, um dos dos maiores jornalistas especializados em gastronomia do país.

Segundo ele, são esperadas 40 mil pessoas, todas animadas para provar receitas de restaurantes e chefs renomados de São Paulo. Serão mais de 100 opções de pratos a preços acessíveis (de R$ 20 a R$ 45 cada).

Festival de gastronomia
Taste São Paulo reúne grandes nomes da gastronomia paulistana em agosto / Divulgação

Para Luiz Américo, “um festival como o Taste busca traduzir o paladar de São Paulo em um único espaço, por meio de uma curadoria que valoriza o que a cidade tem de melhor em sabor e diversidade”

O desafio é equilibrar fatores como preço, conforto, execução dos pratos e organização.

A ideia do Taste é viabilizar aos chefs e restaurantes uma estrutura que permita a reprodução da comida com a mesma qualidade do restaurante.

Isso sem falar que, segundo o curador, o aspecto fundamental é o da formação do público. “No Taste, várias pessoas têm um primeiro contato com estabelecimentos que muitas vezes ainda não conseguiram visitar”, afirma.

Enfim, esses são três exemplos de eventos que merecem ser acompanhados – e frequentados.

Ainda há tempo para participar de um deles e, em razão dos pontos positivos que destaquei acima, recomendo fortemente que acompanhem os diversos eventos que mensalmente são realizados nas mais diversas capitais do Brasil.

Sobre Fred Sabbag

Fred Sabbag
O advogado e entusiasta gastronômico Fred Sabbag, que conta com milhares de seguidores no Instagram / acervo pessoal

Fred Sabbag é advogado por profissão, mas, no tempo livre, nada de processos ou trâmites judiciais: uma de suas maiores paixões é frequentar bares e restaurantes. O hábito rendeu-lhe inúmeros seguidores no Instagram (@fredsabbag) e o tornou numa celebridade da gastronomia em São Paulo.