Jardim Botânico ganha restaurante português classudo de ótima cozinha

Com receitas de bacalhau, arrozes e alcatra de peixe, a cozinha do Quinta da Henriqueta tem influência dos sabores dos Açores, arquipélago que é território autônomo de Portugal

Fabio Wrightcolaboração para o Viagem & Gastronomia Rio de Janeiro, RJ

Os donos da Tasca da Henriqueta, no Leblon, resolveram inaugurar no Rio uma segunda casa portuguesa — mais elegante, grandiosa e com maiores ambições gastronômicas. Nasceu assim a Quinta da Henriqueta.

Inaugurado em novembro, o novo restaurante passou a ocupar o belo casarão da Rua Lopes Quintas, no Jardim Botânico, onde funcionaram a Casa Carandaí e o Prosa. Sem perder a atmosfera acolhedora, o espaço ganhou ares mais refinados e uma bonita adega depois de uma reforma.

A cozinha portuguesa servida ali puxa sardinha para os Açores — arquipélago no Atlântico que é um território autônomo de Portugal. Explica-se: dois dos sócios têm laços familiares na região e um deles, Diogo Couto, tem esposa nascida na Ilha Terceira (uma das nove ilhas dos Açores).

Ambiente interno do Quinta da Henriqueta
Ambiente interno do restaurante Quinta da Henriqueta / Tomás Vélez

Entre as boas bocadas para abrir o apetite estão os croquetes de leitão desfiado servido com geleia de laranja (R$ 48) e um curioso pastel de formato redondo — feito com a massa do pastel de nata — recheado de pato confitado com um toque sutil do molho picante piri-piri (R$ 26 cada um).

Aos cuidados do chef Carlos Gleyson, a cozinha prepara também entradas clássicas da terrinha, como os camarões à bulhão pato (R$ 85), a alheira assada com ovo frito (R$ 55) e o pastel de bacalhau (R$ 29).

Numa seção do menu chamada “Memórias dos Açores” aparecem as alcatras de carne bovina (R$ 210; para duas pessoas), peixe (R$ 210) ou polvo (R$ 290). Trata-se de um cozido de molho caldoso, especialmente popular na ilha Terceira, preparado a fogo lento em uma panela de barro chamado “alcatre”. Leva toucinho defumado, vinho branco, cebola e outros temperos e vem acompanhado de batata cozida ou arroz branco.

O menu reúne também arrozes — como o de camarão (R$ 145) e o de pato (R$ 160) — e sete receitas com bacalhau em porções para duas pessoas, a exemplo do lombo de bacalhau em crosta de alheira servido com aligot de castanha portuguesa (R$ 280) e do superclássico à lagareiro (R$ 320).

Quinta da Henriqueta: Rua Lopes Quintas, 165 – Jardim Botânico, Rio de Janeiro – RJ / Tel.: (21) 2137-7493 / Horário de funcionamento: terça a quinta-feira, das 12h à 0h; sexta e sábado, das 12h à 1h; domingo, das 12h às 22h; fecha às segundas-feiras.

*Os textos publicados pelos Insiders e Colunistas não refletem, necessariamente, a opinião do CNN Viagem & Gastronomia.

Sobre Fabio Wright

Fabio Wright é jornalista gastronômico e nome por trás do perfil Taste and Fly / Divulgação

Jornalista paulistano que transita semanalmente entre São Paulo e Rio, já escreveu sobre gastronomia para grandes veículos, como Veja São Paulo, O Estado de S. Paulo e Época São Paulo. Nos últimos dez anos, visitou dezoito países em busca de bons lugares para comer, beber, badalar e exercitar a boemia. Compartilha também suas descobertas no site e no perfil do Instagram @tasteandfly.