1. Home
  2. Política

Deputados bolsonaristas comemoraram queda de lockdown em Manaus no fim do ano

Embora o caos esteja mais evidente agora, há semanas, diante da expectativa de colapso dos sistemas de funerário e de saúde

Sinara Peixoto, da CNN, em São Paulo
Foto: Reprodução

Postagens de deputados bolsonaristas em redes sociais – apoiando o recuo de uma tentativa de lockdown no Amazonas no fim do ano – voltaram à tona nas últimas horas, quando a cidade de Manaus enfrenta um colapso nos sistemas de saúde e funerário em função da explosão nos casos de Covid-19. 

São recordes de mortes e internações, a cidade enterrou o maior número de corpos de sua história em um único dia e, desde essa quinta-feira (14), uma crise no fornecimento de oxigênio para pacientes, de todas as enfermidades, mobiliza o país inteiro e é destaque na imprensa internacional.

Embora o caos esteja mais evidente agora, há semanas, diante da expectativa de colapso dos sistemas de funerário e de saúde, o governador do estado do Amazonas, Wilson Lima, tentou decretar lockdown, mas recuou após protestos. 

Na ocasião, alguns parlamentares bolsonaristas usaram as redes sociais para apoiar a desistência.

A deputada Bia Kicis (PSL-DF) parabenizou a população que protestou contra a medida.

“A pressão do povo funcionou em Manaus. O governador voltou atrás em seu decreto de lockdown. Parabéns, povo amazonense, vocês fizeram valer seu poder”.

Foto: Reprodução

No dia 4 de janeiro, o deputado Osmar Terra (MDB-RS), afirmou que a imprensa era “alarmista”. “Manaus tem queda importante de óbitos mostrando imunidade coletiva de rebanho”.

Naquele momento, Manaus já registrava a segunda semana com maior número de enterros de vítimas da Covid-19, desde o início da pandemia: 202 dos 585 sepultamentos.

Foto: Reprodução

No dia 26 de dezembro, o filho do presidente, deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), também apoiou o recuo do lockdown na capital do Amazonas.

“Primeiro Búzios, agora Manaus. Todo poder emana do povo”, disse, citando também a cidade do litoral fluminense, que rejeitou medidas mais duras de combate à Covid-19 durante as festas de Fim de Ano.

Foto: Reprodução

Após a repercussão nas últimas horas, Bia Kicis afirmou que agentes públicos corruptos são os verdadeiros responsáveis pela situação no Amazonas.

"Apontando os verdadeiros responsáveis pelo caos e o drama dos doentes e familiares em Manaus. Toda minha solidariedade aos que estão sofrendo e até morrendo por falta de oxigênio. Corrupção mata!", disse ela, compartilhando uma publicação que lembrava a Operação Sangria, da Polícia Federal, em junho de 2020, contra o superfaturamento na compra de respiradores no estado.

Foto: Reprodução

A CNN procurou os deputados citados. Questionada sobre o post de 04/01 em que Osmar Terra afirmou que Manaus já tinha atingido imunidade de rebanho, a assessoria do ex-ministro disse que ele "deve gravar um vídeo explicando o que está acontecendo na capital amazonense".

A deputada Bia Kicis respondeu, ainda questionando a eficácia do lockdown, e afirmando que foi a parlamentar que mais destinou verbas à saúde.

"O país da América do Sul que adotou por mais tempo o lockdown foi a Argentina, no entanto não resolveu. Outro exemplo é a Alemanha. Em todos os países que medidas de restrição (lockdown) foram aplicadas, não houve qualquer redução do COVID-19. Vidas são salvas com tratamento e sem desvios de recursos que deveriam ir para hospitais e compra de equipamentos. Muitas pessoas estão morrendo por falta de oxigênio. A deputada foi a parlamentar do DF que mais destinou verbas para a saúde conforme matéria pública pelo Correio Braziliense."

Eduardo Bolsonaro não se manifestou à CNN. 

 

Reação de profissional da saúde em Manaus (AM) em meio à pandemia de coronavírus
Foto: Bruno Kelly/Reuters (14.jan.2021)