Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    “Ferrari”: conheça 7 carros importantes no novo filme

    Entenda por que um Peugeot 403 é o automóvel que o protagonista da cinebiografia de Enzo Ferrari mais dirige

    Adam Driver vive Enzo Ferrari no filme "Ferrari"
    Adam Driver vive Enzo Ferrari no filme "Ferrari" Divulgação/Neon/STX

    Eugênio Augusto Britocolaboração para a CNN

    O filme “Ferrari” estreou em cinemas brasileiros nesta quinta-feira (22) contando um capítulo bem específico da vida do ex-piloto, engenheiro e industrial Enzo Ferrari.

    Curiosamente, o criador da mais icônica fabricante de carros esportivos do planeta dirige (com maestria) mais um Peugeot 403 do que suas próprias macchinas nesta cinebiografia. Mas há um motivo.

    Antes de explicar, porém, vamos de sinopse: durante o verão de 1957, a falência paira sobre a empresa que Enzo Ferrari e sua esposa Laura construíram dez anos antes. Ele decide apostar tudo na icônica Mille Miglia, uma corrida automobilística de longa distância pela Itália.

    A obra é baseada no livroFerrari: O homem por trás das máquinas“, de 1991, e foi produzida por longos 20 anos pelo diretor norte-americano Michael Mann (ganhador de quatro Oscars e conhecido por “O Último dos Moicanos”, “O Informante” e “O Aviador).

    Adam Driver (que também viveu um italiano em “Casa Gucci”) e Penélope Cruz (“Mães Paralelas”, “Vanilla Sky”) interpretam Enzo e Laura Ferrari, quando o casal se vê em crise conjugal e financeira, mas precisa decidir se vende a companhia para Ford ou Fiat.

    O filme também conta com a participação do ator brasileiro Gabriel Leone (que está gravando a minissérie “Senna” para a Netflix), vivendo outro piloto, o espanhol Alfonso de Portago.

    Nenhuma Ferrari é de verdade

    Segundo Mann, sua intenção com “Ferrari” foi mostrar como Enzo tinha mais sentimentos por carros do que por familiares, pilotos ou mesmo fãs de corrida. Sendo assim, os automóveis acabam explicitando a personalidade das pessoas na trama.

    Mas há falta de “matéria-prima”: boa parte dos veículos da época simplesmente não existe mais, caso do Fórmula 1 Ferrari 801. Mesmo os supercarros sobreviventes são raridades na mão de magnatas ou em acervos de museus.

    Assim, Neil Layton, engenheiro-técnico responsável por automóveis em grandes produções de Hollywood (como os carros de James Bond na franquia “007”), revelou que quase nenhum modelo visto em cena é original.

    Em cena, todos os modelos da Ferrari são réplicas construídas sobre chassis da inglesa Caterham, com estrutura tubular e carroceria de fibra-de-vidro. Ou de aço, nas cenas de acidente, para maior realismo. É também o caso de Fiat-Abarth 750 Zagato, Jaguar Type D (que pelo menos usa mecânica de Jaguar XJ), Porsche Type 356 e dos supercarros da Maserati, a “vilã” da história.

    A veracidade sonora das cenas de “pé embaixo”, porém, ficou garantida pela captação do áudio de motores V12 de modelos mais recentes e menos raros (mas não menos caros), como a Ferrari 250 GTO 1962. Aliás, se for ao cinema, opte por salas com boa qualidade de som: valerá o ingresso!

    Veja sete carros importantes no filme, um para cada um dos 77 anos de atividade da Ferrari:

    1. Peugeot 403

    O filme começa com um epílogo em preto-e-branco da época de piloto de Enzo Ferrari, para depois engatar na trama principal. Então, o que se vê é Ferrari conduzindo com maestria um… Peugeot 403 de 1956. A estratégia da biografia é mostrar que Enzo era uma pessoa prática, que gostava de comandar, mas também de ser adulado. O 403, um carro para o dia a dia, foi criado pelo estúdio do amigo Batista “Pinin” Farina, que doou o carro ao empresário. Enzo também gostava de usar outro modelo com traços da Pininfarina, a Ferrari 250 GTE, que não aparece em cena.

    Peugeot 403 no filme Ferrari
    Peugeot 403 não é réplica e funciona como carro de Enzo Ferrari no filme / Divulgação/Neon/STX

    2. Alfa Romeo Giulietta e Sprint

    Também desenhados pela Pininfarina, estes dois modelos estão nas mãos das mulheres da trama por serem considerados carros de design “sensual” à época, visão que também corrobora a personalidade machista de Enzo. Laura, companheira oficial do empresário e “presidente financeira” da Ferrari S.p.A. no período, dirige o sedã Giulietta Berlina. Já Lina Lardi, amante de Enzo e mãe de Piero Ferrari, atual vice-presidente da empresa, aparece rapidamente com um esportivo Giulietta Sprint.

    Alfa Romeo Giulietta Berlina no filme "Ferrari"
    Alfa Romeo Giulietta Berlina é carro de Laura Ferrari na trama / Divulgação/Neon/STX

    3. Ferrari 801

    O malfadado F1 da temporada de 1957 é importante para explicar a fase ruim da Ferrari, após anos de domínio no mundo das corridas. E foi recriado do zero. Durante a divulgação de “Ferrari” no Festival de Veneza, em 2023, Neil Layton afirmou que “nenhuma unidade sobreviveu” até os dias de hoje: “Pedimos os diagramas originais à Ferrari e escaneamos uma miniatura em escala 1:18 para ter mais de fidelidade”.

    Réplica de Ferrari 801 no filme Ferrari
    Réplica da Ferrari 801 em ação no filme “Ferrari” / Divulgação/Neon/STX

    4. Ferrari 335 S

    Esse também é uma réplica para um carro importantíssimo na trama, a Ferrari mais veloz até então. Com motorzão V12 de 4 litros, quase 390 cavalos e com velocidade máxima de 306 km/h (190 mph), foi criado sob supervisão do piloto e engenheiro Sergio Scaglietti, pessoa de confiança de Enzo. A resposta aos supercarros da Maserati (sobretudo o 350S) deu tão certo, que uma das quatro unidades sobreviventes desta Spider foi disputada em leilão pelos jogadores Cristiano Ronaldo e Lionel Messi, em 2016, batendo recorde de 36 milhões de euros (R$ 194 milhões na cotação atual).

    Réplica de Ferrari 335 S no filme Ferrari
    Réplica de Ferrari 335 S no filme “Ferrari” / Divulgação/Neon/STX

    5. Maserati 350S

    Falando em Maserati, esse supercarro de 1956 deu dor de cabeça à Ferrari, nas mãos de Juan Manuel Fangio (o desafeto de Enzo Ferrari é citado, mas não aparece no filme), Stirling Moss e Jean Behra. Por conta do motor menor (V8 de 4,4 l), era mais eficiente, ao passo em que tinha mais potência (407 cv), mais velocidade final (320 km/h) e melhor dirigibilidade. Pode ser considerado o “vilão” da trama.

    Réplica de Maserati 350S para o filme Ferrari
    Tem vilão no filme? Tem supercarros da Maserati, como o lindo 350S / Divulgação/Neon/STX

    6. Ferrari 250 GT Tour de France

    O modelo de 1956 fez tanto sucesso na temporada, sobretudo pelo desempenho no Tour de France, que acabou sendo apelidado com o nome da prova. Enzo, porém, não acreditava que seu V12 de 3 litros seria páreo para a força da Maserati em 1957, a ponto de colocar o veterano piloto Piero Taruffi (o ator Patrick Dempsey, de “Grey’s Anatomy”), não o veloz Alfonso de Portago (Leone), ao volante do cupê na Mille Miglia. A história provou outra coisa.

    Réplica da Ferrari 250 GT Tour de France no filme Ferrari
    Ferrari 250 GT Tour de France é um dos modelos vistos em “Ferrari” / Reprodução/IMCDB

    7. Mercedes-Benz 300 SL Coupé

    Segundo o Internet Movie Car Database (IMCDB), que cataloga carros que são “personagens” em filmagens, há muitos carros reais em cena, mas só os comuns. Os automóveis icônicos não passam de duas dezenas e, destes, só um Mercedes-Benz 300 SL Coupé (Asa-de-Gaivota) é sabidamente real. Criado por Rudolf Uhlenhaut, em 1954, o 300 SL representa outra empresa que conseguiu desbancar a Ferrari no começo dos anos 1950, dentro e fora das pistas. Mas só aparece de relance em duas cenas, talvez pelo fato de que Hollywood já esteja produzindo um filme só para abordar essa história. Ainda não há detalhes, mas Bobby Moresco, diretor de “Lamborghini”, está cotado para dirigir “Ferrari vs. Mercedes”.

    Mercedes Benz 300SL Coupé
    Mercedes Benz 300SL Coupé Asa de Gaivota é clássico alemão de 1954 / Divulgação/Mercedes-Benz