Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Jussara Soares

    Jussara Soares

    Em Brasília desde 2018, está sempre de olho nos bastidores do poder. Em seus 20 anos de estrada, passou por O Globo, Estadão, Época, Veja SP e UOL

    Embaixador do Brasil em Israel se encontra rapidamente com chanceler, mas conversa sobre crise fica para os próximos dias

    Diplomata deve relatar detalhes sobre a reprimenda pública que recebeu do chanceler israelense, Israel Katz, no Museu do Holocausto em Jerusalém

    Embaixador do Brasil em Israel se encontra rapidamente com chanceler, mas conversa sobre crise fica para os próximos dias
    Embaixador do Brasil em Israel se encontra rapidamente com chanceler, mas conversa sobre crise fica para os próximos dias

    O embaixador do Brasil em Israel, Frederico Meyer, se encontrou rapidamente com o chanceler Mauro Vieira na Marina da Glória, no Rio de Janeiro, à margem do último dia de reuniões do G20.

    De acordo com interlocutores, foi um encontro rápido, para “um abraço apenas.” Na ocasião, eles não chegaram a discutir sobre a crise diplomática com Israel.

    Os dois combinaram de ter novo encontro nos próximos dias, mas uma data não foi definida.

    Nesta sexta-feira (23) à noite, Mauro Vieira embarca do Rio de Janeiro para Abu Dabhi onde participará da Conferência Ministerial (MC13) da Organização Mundial do Comércio (OMC).

    Nessa conversa, o diplomata deve relatar detalhes sobre a reprimenda pública que recebeu do chanceler israelense, Israel Katz, no Museu do Holocausto em Jerusalém.

    Meyer, que desembarcou na noite de quarta-feira (21), também fará uma avaliação das relações entre os dois países, assim como transmitir suas percepções sobre a repercussão da crise diplomática em Israel.

    O embaixador estava em Tel Aviv e foi chamado para consultas pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que foi declarado “persona non grata” por Israel. Na diplomacia, o ato de chamar um embaixador demonstra o esfriamento das relações entre dois países.

    A crise diplomática se iniciou no último domingo (18) quando Lula, ao criticar a ofensiva desproporcional de Israel na Faixa de Gaza, comparou as ações de Israel com o holocausto.

    “O que está acontecendo na Faixa de Gaza e com o povo palestino não existe nenhum outro momento histórico. Aliás, existiu quando Hitler resolveu matar os judeus”, disse o presidente brasileiro.