Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Jussara Soares
    Blog

    Jussara Soares

    Em Brasília desde 2018, está sempre de olho nos bastidores do poder. Em seus 20 anos de estrada, passou por O Globo, Estadão, Época, Veja SP e UOL

    Marinha lança fragata da Classe Tamandaré em 9 de agosto; saiba quem batiza a embarcação

    É o primeiro de quatro navios-escolta; contrato de R$ 9,1 bilhões foi assinado em 2020

    Representação gráfica de fragata Classe Tamandaré
    Representação gráfica de fragata Classe Tamandaré Marinha

    A primeira das quatro novas fragatas da Marinha do Brasil será lançada ao mar no dia 9 de agosto, em Itajaí (SC), onde elas estão sendo construídas. Com isso, a força naval dá um passo significativo em um dos principais programas para a renovação de sua esquadra.

    Dona Vera Brennand, esposa do ministro da Defesa, José Múcio Monteiro, foi escolhida como madrinha de batismo da embarcação. O anúncio formal da homenagem será feito nesta quarta-feira (10), em um jantar para o qual foram convidados os comandantes da Marinha, do Exército e da Aeronáutica.

    O evento é semelhante ao que foi oferecido à primeira-dama Janja da Silva, anunciada em março como madrinha do submarino Tonelero.

    O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) terá a oportunidade de usar o lançamento da fragata ao mar em agosto como mais um capítulo na aproximação dos militares.

    As fragatas da Classe Tamandaré são navios-escolta, com alto poder combatente, usados em missões de guerra naval como apoio e proteção das unidades de maior valor — como porta-aviões, navios-tanque e embarcações para o transporte de tropas, por exemplo.

    O contrato para a construção das quatro fragatas, no valor de aproximadamente R$ 9 bilhões, foi assinado em 2020. O Consórcio Águas Azuis — formado pela gigante alemã Thyssenkrupp Marine Systems, pela brasileira Embraer Defesa e por sua subsidiária Atech — é responsável pela construção.

    O negócio envolve transferência de tecnologia e de conhecimentos técnicos, além da obrigação de conteúdo local e da geração de oito mil empregos (dois mil diretos e seis mil indiretos).

    O lançamento ao mar ainda não representa a entrega definitiva do navio-escolta, que precisa ser equipados com canhões, mísseis, torpedos e metralhadoras. Isso deve ocorrer até 2025.

    As demais embarcações estão previstas para entrega gradual nos próximos quatro anos: a Jerônimo Albuquerque em 2026, a Cunha Moreira em 2027 e a Mariz e Barros em 2028.

    A primeira fragata, que dá nome à classe de navios, representa uma homenagem ao patrono da Marinha. Joaquim Marques de Lisboa, o Almirante Tamandaré, destacou-se ainda como tenente nos combates da Guerra da Cisplatina e comandou as forças navais na Guerra do Paraguai.