Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Pedro Duran

    Pedro Duran

    O pai do Benjamin passou pela TV Globo, CBN e UOL. Na CNN, já atuou em SP, Rio e Brasília e conta histórias das cidades e de quem vive nelas

    Buscas a fugitivos de Mossoró devem usar inteligência artificial aliada a cerco local

    CNN obteve relatórios internos que trazem detalhes da vida dos fugitivos no sistema prisional

    Buscas a fugitivos de Mossoró devem usar inteligência artificial aliada a cerco local
    Buscas a fugitivos de Mossoró devem usar inteligência artificial aliada a cerco local

    Especialistas em segurança e fontes do sistema prisional brasileiro afirmaram à CNN que as buscas pelos dois foragidos do presídio de Mossoró devem incluir, para além do cerco local, o uso de inteligência artificial. A tecnologia é usada para filtrar destaques importantes de conversas a partir de uma rede de escutas telefônicas acompanhada pelo sistema de inteligência das polícias brasileiras.

    O Ministério da Justiça informou que mais de 100 agentes foram envolvidos nas buscas, que incluem a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal e as polícias locais em estados como Rio Grande do Norte, Ceará e Acre, de onde vieram transferidos os dois presos em setembro do ano passado. A polícia montou blitz em estradas, helicópteros foram reservados para a ação e uma perícia está sendo feita no local para tentar encontrar vestígios da fuga.

    Relatórios dos dois presos obtidos pela CNN revelam que Rogério da Silva Mendonça e Deibson Cabral Nascimento têm os mesmos advogados. Os registros apontam que Nascimento recebeu visitas sociais, virtuais e em parlatório 262 vezes entre 2015 e 2023. Os dois passaram pela Penitenciária Federal de Catanduvas, no estado do Paraná. A dinâmica do presídio é muito semelhante à de Mossoró e a de outros dois presídios federais.

    Dados da inteligência da Polícia Civil do Acre apontaram ainda que ambos são classificados como criminosos de ‘alta periculosidade’ e vinculados ao Comando Vemelho. Para além de crimes como roubo à mão armada e tráfico de drogas, a CNN revelou que a dupla foi indiciada por homicídio depois de uma rebelião que terminou com a chacina de cinco presos de uma facção rival ao Comando Vermelho na penitenciária de Rio Branco.

    No caso de Nascimento, dados obtidos pela CNN apontam que as penas já somam mais de 83 anos de prisão. São pelo menos oito condenações por roubo à mão armada. Já Mendonça tem pelo menos oito processos criminais, também com condenações. O relatório do sistema prisional traz ainda que ele tem pelo menos cinco tatuagem, incluindo uma suástica na mão.