Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Tainá Falcão

    Tainá Falcão

    Jornalista, poetisa, mulher nordestina, radicada em Brasília com passagem por SP. Curiosa. Bicho de TV. Informa sobre os bastidores do poder

    Lula e Lewandowski buscam líderes na Congresso para destravar veto às saidinhas

    Líder do União Brasil foi chamado por Lula, nesta quarta-feira (8) para discutir o assunto pessoalmente

    Lula e Lewandowski buscam líderes na Congresso para destravar veto às saidinhas
    Lula e Lewandowski buscam líderes na Congresso para destravar veto às saidinhas

    Às vésperas da análise dos vetos presidenciais pelo Congresso Nacional, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o ministro da Justiça, Ricardo Lewandowski, entraram em campo para ajudar a articulação política.

    Lula e Lewandowski buscam convencer líderes partidários da base a votarem pela manutenção do veto que permite a saída de presos do regime semi-aberto para visitar às famílias.

    Com três ministérios na Esplanada, o União Brasil é, majoritariamente, contra a manutenção o veto. O líder do partido na Câmara, Elmar Nascimento (União-BA) foi chamado por Lula, nesta quarta-feira (8), para discutir o assunto pessoalmente. A agenda não estava prevista.

    Na reunião de líderes do Congresso nesta terça (7), o líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE), fez um apelo para a manutenção do veto às Saidinhas. O governo aposta na abstenção de deputados e senadores que não queiram se comprometer.

    Elmar teria dito que há dificuldade de trabalhar o assunto na bancada. Dois líderes afirmaram à CNN que foram procuradores pelo ministro da Justiça em busca de apoio para o tema.

    Para Lewandowski, proibir presos de visitar familiares “atenta contra a constituição”.

    A orientação pelo veto a esse trecho do projeto foi dada pela ala jurídica do governo, como o Ministério da Justiça e Segurança Pública e a Advocacia-Geral da União. Ministros palacianos e líderes de governo foram contrários à decisão sob risco de serem derrotados na análise do assunto pelo Congresso.