Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Thais Herédia

    Thais Herédia

    Passou pelos principais canais de jornalismo do país. Foi assessora de imprensa do Banco Central e do Grupo Carrefour. Eleita em 2023 a Jornalista Mais Admirada na categoria Economia do Jornalistas & Cia.

    Manifestação de Bolsonaro não faz “preço” no mercado

    Reação do Congresso Nacional está no foco dos gestores

    Manifestação de Bolsonaro não faz “preço” no mercado
    Manifestação de Bolsonaro não faz “preço” no mercado

    A manifestação promovida pelo ex-presidente Bolsonaro na Avenida Paulista não fez “preço” no mercado financeiro. A expressão é usada para explicar motivos para movimentação nos preços dos ativos.

    Com agenda econômica vazia neste início de semana, investidores passaram o dia acompanhando as repercussões do evento em São Paulo sem tomar posição de maior ou menor risco futuro.

    A preocupação mais comum é com a reação do presidente Lula à demonstração de apoio não só ao ex-presidente, mas aos conservadores da direita brasileira.

    Executivos ouvidos pela CNN não levam em conta os discursos, ou a “obediência” dos manifestantes ao pedido de Bolsonaro para não haver provocação ao STF ou de apoio à intervenção militar — o que poderia ser, inclusive, considerado como prova contra o ex-presidente na investigação sobre a tentativa de golpe de Estado.

    “O debate no mercado é o que ele vai provocar na movimentação do Lula. Hoje, quem puxa o presidente para o centro é o Congresso. A dúvida entre muitos gestores é se a demonstração de apoio a Bolsonaro, ou à direita brasileira, vai empurrar Lula para mais populismo, ou vai fazer com que o presidente busque o caminho do meio”, disse à CNN o gestor de um grande banco de investimento no Brasil.

    Segundo outro executivo, de um fundo de investimentos, o Congresso acordou nesta segunda-feira (26) com mais poder porque teve provas de que a agenda da direita tem eco na sociedade, sem necessariamente estar ligada a Bolsonaro.

    O que colocaria mais pressão sobre o governo Lula e sua pauta ideológica.

    “Deputados e senadores mais de centro-direita viram o tamanho do apoio popular que ainda têm e podem ser estimulados a tocar a própria agenda no Congresso. A quantidade de gente na Avenida Paulista mostrou que eles estão vivos. Aquele receio de que as eleições municipais dariam mais terreno para esquerda deve arrefecer”, disse à CNN.

    À espera de dados de inflação e atividade econômica do Brasil e dos Estados Unidos, o mercado brasileiro fechou o dia mais positivo, mas sem grandes movimentações.

    Só no final da semana que serão divulgados os dados mais relevantes, como índice de preços mais considerado pelo Fed, o PCE, e aqui no Brasil, o IPCA-15 e o PIB de 2023.