Plano Pró-Brasil pode ganhar reforço de até 11 mil obras

Ministro Rogério Marinho apresentou projeto ao presidente Jair Bolsonaro na manhã desta quarta-feira

Renata Agostini
Por Renata Agostini, CNN  
22 de abril de 2020 às 21:52
O ministro da Casa Civil, Walter Braga Netto e o presidente Jair Bolsonaro (18.fev.2020)
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O plano de retomada da economia anunciado pelo Palácio do Planalto será encorpado com obras que hoje estão sob a supervisão do Ministério do Desenvolvimento Regional. O ministro Rogério Marinho, que comanda a pasta, apresentou ao presidente Jair Bolsonaro na manhã desta quarta-feira (22) um mapeamento de 11 mil projetos espalhados pelo país que já foram iniciados e podem ser rapidamente concluídos caso o governo libere mais recursos.

O programa, batizado de Pró-Brasil, foi anunciado em coletiva de imprensa no Palácio do Planalto horas depois. O ministro-chefe da Casa Civil, Walter Braga Netto, que chefia o grupo encarregado de bolar o plano, divulgou a intenção de injetar R$ 30 bilhões em projetos de infraestrutura nos próximos três anos.

Esses recursos referem-se, porém, apenas à parte estruturada pelo ministro Tarcísio de Freitas, da Infraestrutura. A expectativa, portanto, é que o volume de recursos previstos no plano se multiplique conforme as sugestões de Marinho e de outros ministros forem incluídas.

O Ministério do Desenvolvimento Regional dividiu seu trabalho em duas fases. A primeira contempla 11 mil obras que já estão em andamento, mas para as quais são necessários reforços no orçamento. A segunda envolve novas obras. Esses projetos ainda estão sendo detalhados. 

Os ministérios de Minas e Energia e da Cidadania também vão apresentar suas sugestões ao grupo, que conta com a participação do ministro da Economia, Paulo Guedes. A próxima reunião do grupo será na sexta-feira (24).