Nubank autoriza trabalho home office a funcionários até o fim de 2020


Luís Lima e André Jankavski, do CNN Brasil Business
18 de maio de 2020 às 18:28 | Atualizado 18 de maio de 2020 às 20:59
Cartão de crédito Nubank

Nubank começou oferecendo cartão de crédito sem anuidade e agência

Foto: Reprodução/Facebook

O Nubank autorizou a prática do home office a seus colaboradores até o fim deste ano. A informação foi comunicada por e-mail pela responsável da área de Recursos Humanos (RH), Renee Mauldin. 

 "Estou aqui para anunciar que continuaremos a trabalhar remotamente até o fim de 2020", afirmou a executiva norte-americana, em mensagem a qual o CNN Brasil Business teve acesso. "Ainda que seja possível que abramos nossos escritórios antes, não exigiremos que os 'Nubankers' (como são chamados os trabalhadores do Nubank) compareçam às nossas dependências antes do fim do ano", reforça Mauldin.

A fintech tem mais de 2.400 funcionários, distribuídos em escritórios em São Paulo, Berlim, Cidade do México e Buenos Aires, e que trabalham em esquema home office desde 12 de março, um dia após a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarar pandemia global pelo novo coronavírus. 

Em entrevista recente ao CNN Brasil Business, a co-fundadora do Nubank, Cristina Junqueira, destacou que empresas de todos os setores vão operar a partir de um "novo normal" no pós-pandemia, com uma aposta redobrada na área digital.

"Se pudéssemos apertar o botão e acelerar o tempo para olhar, para daqui seis meses, ou um ano, o mundo será, de fato, bem diferente do que era antes", disse a executiva. 

Outra empresa do setor financeiro, a XP também havia anunciado, na semana passada, a adoção do trabalho remoto aos seus 2.700 funcionários até dezembro, com a possibilidade de implementá-lo de maneira permanente. 

Procurado, o Nunbank ainda não se manifestou sobre a decisão de ampliar o home office até o fim do ano. 

Tendência global

A aposta no home office vem em linha com outras grandes empresas globais, como Facebook e Twitter. Isso porque, para algumas dessas gigantes de tecnologia, a opção pelo trabalho remoto significa maior eficiência e economia, já que gastam milhões de dólares em espaços de escritório.

No caso do Facebook, a companhia norte-americana, que tem Mark Zuckerberg entre seus fundadores, surpreendeu o mercado ao anunciar que seus funcionários estarão liberados para trabalhar de casa até o final do ano. Além disso, a gigante das mídias sociais espera que a maioria dos escritórios permaneça fechada até 6 de julho, segundo um porta-voz da empresa.

Já o Twitter pretende aderir ao "home office eterno". Isso, claro, se os funcionários assim decidirem. O comunicado da companhia foi confirmado pelo CNN Business no dia 12 de maio. 

Em nota enviado aos colaboradores, a rede social afirmou que não há planos para reabrir os escritórios da empresa ou retomar viagens de trabalho antes de setembro. Eventos internos que ocorreriam durante o ano de 2020 também foram cancelados, com a possibilidade da medida se estender para 2021.

Questionada sobre o trabalho retomo 'eterno', a vice-presidente de recursos humanos, Jennifer Christie, afirmou que “se nossos empregados estão numa posição e numa situação que lhes permite trabalhar de casa e eles quiserem fazê-lo para sempre, vamos fazer acontecer.”  

No time de elite das empresas de tecnologia, o Google ainda não confirmou se estenderá o período de home office aos funcionários. Por ora, a empresa optou por dar folga aos seus trabalhadores na próxima sexta-feira, 22 de maio. A medida visa ajudar os colaboradores a lidar com o esgotamento relacionado ao trabalho remoto na pandemia. 

Clique aqui e siga o perfil do CNN Brasil Business no Facebook