'Reabertura é positiva, mas prejuízo não será recuperado', diz Abrasce

Shoppings abrirão nesta quinta-feira (11) na capital paulista

Da CNN
11 de junho de 2020 às 13:51


Seguindo a previsão do plano de reabertura do comércio em São Paulo, 46 shoppings voltam às atividades nesta quinta-feira (11), na capital paulista, após dois meses de portas fechadas. Outros 7 reabrem na amanhã (12). Os estabelecimentos estavam fechados há mais de 80 dias devido a pandemia do novo coronavírus.

Em entrevista à CNN, Glauco Humai, presidente da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), afirmou que os empreendimentos estão 'preparados e ansiosos' para a reabertura das lojas. 

 

Leia também:
10% dos lojistas não devem reabrir em SP, por problemas financeiros, diz Alshop

"Dentro do nosso shopping vamos ter todo cuidado. É uma operação segura, com cuidado e cheia de cautela para atender as pessoas que vão às lojas hoje. Nós nos preparamos muito, preparamos tudo para poder voltar com muita responsabilidade neste momento."

Questionado sobre a expectativa para a retomada na véspera do Dia dos Namorados, data otimista para o comércio, Glauco afirmou que é um bom momento para reabrir, mas que o prejuízo causado pela pandemia não será recuperado. 

"É um momento simbólico e importante para o varejo. Temos uma limitação de fluxo de pessoas, mas seguimos todos os protocolos. O prejuízo causado pela pandemia não será recuperado, ele não volta", disse. 

"Já colocamos nossos protocolos em prática e estamos preparados para eventuais filas. A população está ansiosa e nós estamos preparados para organizar as filas e orientando a pré-entrada nos shoppings seguindo as medidas de higiene e de distanciamento", concluiu.

Novas normas

Além do horário reduzido, os shoppings só poderão funcionar com 20% da capacidade, seguindo as orientações de distanciamento social e higiene. Segundo a Abrasce, inicialmente o horário de expediente será das 16h às 20h 

Permanecerão vetados, nesta primeira fase de reabertura, os cinemas, consumo na praça de alimentação – exceto para delivery ou possibilidade de levar para casa, salões de beleza e barbearia  e academias. 

(Edição: Sinara Peixoto)