Congonhas teve 6 mil passageiros em maio; em 2019, foram 2 milhões no mesmo mês

Aos poucos, as empresas aéreas retomam as atividades, mas em um ritmo lento em relação ao período anterior à pandemia da Covid-19

Da CNN
17 de junho de 2020 às 12:24 | Atualizado 17 de junho de 2020 às 12:37
 
 

O aeroporto de Congonhas, tradicionalmente o mais movimentado do país, registrou cerca de 6 mil passageiros no último mês de maio.

A cifra é um reflexo da pandemia do novo coronavírus e a consequente redução de voos. No mesmo mês do ano passado, 2 milhões de pessoas passaram pelo terminal na capital paulista.

As companhia aéreas também operam com cerca de um décimo de sua capacidade. Aos poucos, as empresas retomam as atividades, mas em um ritmo lento em relação ao período anterior à pandemia da Covid-19.

A GOL evoluiu de 68 voos diários em maio para 100 voos diários em junho. Apesar do crescimento, o índice representa 13% da capacidade pré-pandemia.

A Azul passou de quatro voos diários, no Aeroporto de Congonhas, para 52 voos diários - representando cerca de 10% da capacidade, já que a empresa tinha 552 voos diários antes do período de isolamento.

Até o final do mês, a Latam pretende ter 54 rotas nacionais em funcionamento, o que representa 9% da capacidade anterior.

Leia também:

Situação das aéreas só voltará ao normal em 2025, diz consultor 
Busca por passagem aérea no Brasil atinge mínima histórica no Google
Companhias aéreas proíbem álcool em aviões em resposta à Covid-19

Uma parceria inédita entre as companhias aéreas Latam e Azul irá conectar rotas na malha aérea das companhias para incentivar o tráfego de passageiros na retomada dos voos domésticos.

Com o acordo, o passageiro poderá utilizar uma passagem em trajetos com escalas e voos das duas operadoras. A ideia é compartilhar as aeronaves para evitar que elas decolem com menos passageiros.