Brasil fecha 331.901 vagas formais e registra pior maio da série do Caged


Anna Russi, do CNN Brasil Business, em Brasília
29 de junho de 2020 às 14:52 | Atualizado 29 de junho de 2020 às 18:09
Pessoas com máscaras de proteção contra o coronavírus em região comercial de SP

Pessoas com máscaras de proteção contra o coronavírus em região comercial de São Paulo

Foto: Amanda Perobelli/Reuters (11.jun.2020)

Apesar da melhora em relação ao mês anterior, que registrou saldo negativo em mais de 902 mil postos de trabalho, o número de empregos formais no Brasil fechados em maio ainda somou 331.901. O valor é o pior para meses de maio em toda a série histórica, iniciada em maio.   

Os dados foram divulgados pela secretaria especial de Previdência e Trabalho nesta segunda-feira (29) e refletem do avanço dos impactos da pandemia da Covid-19 na economia brasileira.

Em maio, o resultado foi influenciado, principalmente, pelo menor número de admissões, que totalizando 703.921, recuaram 48% ante o mesmo mês do ano passado. 

Leia também:
Brasil fecha recorde de 860 mil vagas formais em abril, segundo Caged
Mercado vê Selic a 2% e queda de 6,54% para PIB, aponta Focus

Apesar do saldo negativo de maio, as demissões de trabalhadores com carteira assinada também caíram 21% em relação ao mesmo mês do ano passado, somando 1.035.822. 

Já na comparação com abril deste ano, as contratações avançaram 14% e os desligamentos recuaram 32%. Para o secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Bianco, apesar da forte perda de trabalhos formais, o resultado do mês é positivo quando comparado ao mês anterior. 

"Começamos a ver reação nas contratações em maio. Obviamente, qualquer emprego perdido não é para ser visto como algo positivo. Mas temos que enfatizar esse fator nos parece auspicioso e nos dá esperança, que é a reação clara do mercado de trabalho nesse mês de maio em comparação com o mês de abril", afirmou

Segundo o secretário, a preocupação no momento é focada na redução de admissões. "Em uma situação normal, as demissões seriam compensadas por outras admissões e isso resultaria em um saldo positivo", explicou.

De janeiro a maio deste ano, o número de vagas encerradas no mercado de trabalho formal já é superior a 1.144.875. Resultado de 6.911.049 demissões e 5.766.174 admissões, o valor também é o pior para o período. 

Vale destacar que na semana passada, o ministério da Economia informou que os pedidos de seguro-desemprego totalizaram 3,64 milhões até a primeira quinzena de junho. O número representa uma alta de 14,2% em comparação com o mesmo período de 2019. 

Segmentos da economia 

Ao todo, quatro das cinco atividades analisadas registraram desempenho negativo no mês passado. O pior resultado foi no setor de serviços, que, sozinho, fechou 143.479 vaga. 

Com a abertura de 15.993 empregos formais, o único com resultado positivo em maio foi o setor de agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura. 

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook