Veja como usar milhas e aproveitar serviços que custariam caro para o seu bolso


Fernando Nakagawa
Por Fernando Nakagawa, CNN  
30 de junho de 2020 às 19:34

Muitos dos gastos da nossa vida são inevitáveis. É impossível evitar a conta para encher o tanque do carro, quitar a conta do telefone ou lotar o carrinho no supermercado. Muita gente encara essa despesa obrigatória de uma forma mais otimista: já que é para gastar, é melhor que eu seja recompensado e ganhe milhas. E alguns levam isso muito a sério.

O programa Carteira Inteligente dessa semana conversou com dois especialistas na arte de acumular milhas e que, somados, já juntaram mais de 170 milhões de milhas. Eles dão dicas sobre como juntar pontos e potencializar gastos. Tudo para acumular mais milhas e conseguir acesso a salas vips de aeroportos, passagens aéreas em classe executiva e diárias em hotéis sem colocar a mão no bolso.

“O primeiro ponto é identificar a anuidade do cartão de crédito. Depois, observar quantos pontos você consegue a cada dólar ou a cada real gasto. Depois, você observa os benefícios e qual será o seu objetivo com esse cartão. Será um cartão para viajar, será para ter acesso à sala vip? Então, assim é possível escolher a partir dessas características”, explica Rodrigo Goes, criador da Fábrica de Milhas.

Veja também:
A ganância é o caminho para o fracasso de um investidor – e a impaciência também
Pandemia faz o brasileiro voltar a olhar a poupança com carinho. Faz sentido?
Como e quando diversificar e investir no exterior

Leandro Cardoso, do canal Império das Milhas na internet, diz que, se os seus gastos mensais no cartão de crédito são de até R$ 2 mil, o ideal é escolher um cartão que possua o benefício do “cashback” – que é a devolução de parte da conta mensal em reais para a sua conta. Se os seus gastos são superiores, ele sugere acumular pontos no cartão de crédito.

“Gosto muito de cartões de alta renda porque eles dão benefícios melhores, como acesso à sala vip, seguro viagem, seguro do aluguel de carro e assistência residencial. E muitas pessoas acabam nem usando porque desconhecem”, diz Leandro Cardoso que acumula média de 300 mil milhas por mês nos 29 cartões de crédito que possui em seu nome.

A quantidade exagerada de cartões é explicada pela estratégia para acúmulo de milhas: ele escolhe o cartão conforme a promoção do momento para potencializar todos os gastos. Rodrigo Goes acumula cerca de 100 mil pontos por mês, mas há meses em que aproveita promoções de transferência de pontos e ganha até 500 mil milhas no extrato.

Goes e Cardoso são unânimes em afirmar que uma cilada para o acumulador de milhas: a troca por utensílios domésticos. As plataformas de comércio eletrônico dos cartões de crédito oferecem vários itens domésticos, como panelas, torradeiras e pipoqueiras. Para os dois, essa uma não é opção e sugerem alternativas mais vantajosas como encher o tanque do carro com milhas aéreas.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook