Maioria das reivindicações dos entregadores são justas, afirma iFood


Da CNN
01 de julho de 2020 às 14:29 | Atualizado 01 de julho de 2020 às 16:26

Entregadores de aplicativos de delivery fazem uma paralisação nesta quarta-feira (1º) em várias cidades do país. Eles reivindicam melhores condições de trabalho, além de ajuda das empresas para compra de equipamentos de proteção – como luvas e máscaras.

Em entrevista à CNN, Diego Barreto, vice-presidente de Finanças do iFood comentou a paralisação e reconheceu que "a maioria" das reivindicações é justa e que a empresa já cumpre parte dos itens da pauta dos entregadores.

"O direito de manifestação é direito de qualquer brasileiro. Se a manifestação é interesse da categoria, tem que acontecer. Junto com isso, fizemos uma análise minuciosa de todas as pautas que foram colocadas pelas diversas lideranças [do movimento]. Na nossa leitura, a grande maioria  das reinvindicações destas pautas são justas e endereçadas. Se você pegar o vídeo [da manifestação], onde eles listam os itens necessários, nós [do iFood] cumprimos praticamente todos os itens", explicou.

Leia também:

Entregadores preparam greve e aplicativos querem regulamentação do Estado
Greve dos entregadores de apps pode forçar regulação e mudar perfil de empresas
Candidatos a entregador do iFood mais que dobram após coronavírus

Barreto também listou os benefícios que já são oferecidos para os entregadores do aplicativo. Segundo ele, a plataforma garante remuneração em casos de confirmação e suspeita de Covid-19. 

"O iFood oferece o seguro contra acidentes para o trabalhador e para a família em caso de mortes. Distribuímos quase um milhão de kits [de máscara e álcool em gel] durante estes três meses. Temos também um fundo e financiamos completamente a remuneração desses entregadores do aplicativo, caso eles tenham Covi-19 ou apenas sintomas", afirmou. 

(Edição: Leonardo Lellis)