Netflix avisa que sem quarentena novas assinaturas vão cair 75% e ação despenca


Fernando Nakagawa
Por Fernando Nakagawa, CNN  
17 de julho de 2020 às 07:25 | Atualizado 17 de setembro de 2020 às 15:51
Abertura de Mercado

Capa do podcast Abertura de Mercado SEM LOGO do CNN Business

Foto: CNN Brasil

O fim do período de isolamento deve impactar e coincidir com a redução do ímpeto das assinaturas do serviço de streaming mais popular do mundo. A Netflix acredita que deve conseguir adicionar apenas 2,5 milhões de novos assinantes no terceiro trimestre deste ano – no segundo trimestre do ano, em meio a quarentena, a empresa atingiu o marco de 10 milhões de novos assinantes. A notícia fez com que as ações da empresa caíssem quase 10% no pós-mercado de quinta-feira. 

No episódio de hoje:

- Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central, está otimista com a retomada da economia. Em live do banco Itaú, Campos Neto afirmou que os primeiros sinais de recuperação da atividade têm o formato de 'V' – o que indica rápida queda e também rápida recuperação.
- Durante a live, o presidente do BC também disse que a plataforma de pagamentos instantâneos do WhatsApp está sendo analisada e que o objetivo é aprovar o serviço o mais rápido possível – atualmente, ele está bloqueado.
- A primeira proposta da reforma tributária deve sair na próxima semana. Foi o que Paulo Guedes afirmou ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia. A informação é do analista de política da CNN, Igor Gadelha. Na lista de expectativas de Guedes, está a aprovação de projetos para "destravar investimentos" nas áreas de gás natural, petróleo, energia elétrica, cabotagem, privatizações e concessões. 
- Guedes também disse durante a entrevista que não tratou da criação de um imposto sobre transações financeiras nos moldes da antiga CPMF. Rodrigo Maia também reforçou que é contra a volta do imposto. 
- A cervejaria holandesa Heineken anunciou que as receitas da companhia caíram 16,4% no 1º semestre. Segundo a empresa, a venda das cervejas caiu diante das restrições ao funcionamento de bares e restaurantes em todo o mundo, pelo isolamento social para frear a disseminação da Covid-19. A notícia frustrou investidores e as ações da companhia caíram 5% no pregão de quinta-feira (16). 
- Enquanto isso, o Airbnb volta a ficar otimista. Isso porque a empresa de hospedagem acredita que o mundo todo voltou a viajar. Pela primeira vez desde o início da pandemia, a plataforma registrou mais de um milhão de reservas em um único dia. 
- AGENDA: EUA divulga dados sobre a confiança do consumidor em junho. Há expectativa de melhora gradual na comparação com maio.