Equipe econômica desiste de transferir recursos do Fundeb para o Renda Brasil


Raquel Landim
Por Raquel Landim, CNN  
20 de julho de 2020 às 21:51 | Atualizado 21 de julho de 2020 às 06:41

A equipe econômica desistiu de transferir um percentual de recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) para o programa de distribuição de renda ainda em gestação chamado de Renda Brasil.

Segundo a CNN apurou, a proposta do ministro Paulo Guedes agora é utilizar os recursos sem tirá-los do Fundeb para programas de educação que já focalizam a primeira infância.

Inicialmente, a equipe econômica propôs aos parlamentares transferir 5% dos recursos do Fundeb para a criação de uma espécie de "voucher-creche" para famílias de baixa de renda.

Leia também:

Governadores dão apoio a aprovação de Fundeb proposto por relatora

Falta de interlocução com Weintraub atrasou debate sobre Fundeb, diz deputada

Fundeb: Maia diz que Câmara não aceitará mudanças que mexam com investimentos

Mas a relatora do projeto, a deputada Dorinha Seabra (DEM), argumentou que a mudança de um programa para o outro é inconstitucional, porque os recursos do Fundeb devem ser utilizados apenas para a educação.

Por isso, a equipe econômica mudou de estratégia e pretende manter os recursos dentro do fundo, mas utilizá-los para uma finalidade igual, que são creches e alimentação para os estudantes. A ideia, portanto, é utilizar dentro do próprio Fundeb os recursos de programas de educação que já focalizam na primeira infância.

No entanto, o martelo ainda não foi batido. Segundo a repórter Barbara Baião, o Planalto sinalizou que poderia elevar as transferências da União para o Fundeb para 23% --desde que pudesse utilizar 5% para o Renda Brasil.

A medida, no entanto, foi vista como uma forma de burlar o teto de gastos, porque fundos estaduais não precisam obedecer essa regra ao contrário de programas como o Renda Brasil. Por isso, a solução não agradou a equipe econômica.

O assunto segue em discussão.

0