Rede gaúcha Quero-Quero pode levantar R$ 1,9 bilhão em IPO


Da Reuters
20 de julho de 2020 às 16:50
Bolsa B3

Homens na bolsa de valores de São Paulo: preço inicial das ações da Quero-Quero ficará entre R$ 11,30 e R$ 14

Foto: Reuters/Rahel Patrasso

A Lojas Quero-Quero planeja arrecadar cerca de R$ 1,9 bilhão em uma oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), considerando o ponto médio de sua faixa de preço.

Controlada pela empresa de private equity Advent International Corp desde 2008, a varejista de materiais de construção estabeleceu a faixa de preço de suas ações entre R$ 11,30 e R$ 14. O preço final será definido em 6 de agosto.

Leia também: 
Fila do IPO: Incorporadora You planeja levantar R$ 1 bi com abertura de capital
IPO da d1000 pode movimentar até R$ 645 milhões
Ambipar tem estreia animadora na bolsa; ação dispara 18% após IPO

A oferta será principalmente secundária, com a Advent podendo vender integralmente sua fatia de 88% na companhia. Os recursos da oferta primária serão usado em novos centros de distribuição e na expansão das operações.

A Advent planeja vender entre 131.288.465 e 154.300.319 ações, dependendo da emissão de cotas, enquanto a Quero-Quero oferecerá 22.123.894 novas ações.

Além da operação de varejo com 353 lojas, a Quero-Quero também oferece a seus clientes serviços financeiros, como cartões de crédito.

As unidades de banco de investimento do BTG Pactual, Bank of America, Itaú Unibanco, Bradesco SA, Banco do Brasil e a corretora Easynvest estão coordenando a oferta.

Clique aqui e siga a página do CNN Brasil Business no Facebook