Produção da Petrobras cai 3,7% no 2º tri por pandemia; tem alta no ano

Segundo a estatal, o recuo ocorreu principalmente em função dos impactos oriundos da pandemia da Covid-19, que resultaram em hibernação das plataformas

Roberto Samora, da Reuters
21 de julho de 2020 às 20:13
Bacia de Santos, no litoral do Rio de Janeiro: produção recuou por causa dos efeitos da Covid-19
Foto: Pilar Olivares/Reuters

A produção total de petróleo e gás da Petrobras somou 2,8 milhões de barris de óleo equivalente ao dia (boed) no segundo trimestre, queda de 3,7% ante os três primeiros meses do ano, com impacto da pandemia de coronavírus nas operações, disse a empresa nesta terça-feira em seu relatório trimestral.

Já a produção de petróleo no Brasil recuou 3,2% na mesma comparação, para 2,245 milhões de barris ao dia.

Segundo a estatal, o recuo ocorreu principalmente em função dos impactos oriundos da pandemia da Covid-19, que resultaram em hibernação das plataformas que operam em águas rasas e não são resilientes a baixos preços de petróleo.

Leia também:
Como a safra de balanços do 2º tri pode afetar as ações do Ibovespa
Santander Brasil cria linha de crédito de R$ 5 bilhões para setor de saneamento

Além disso, a empresa interrompeu temporariamente, em função de casos de coronavírus, a produção nos FPSOs Cidade de Santos, Cidade de Angra dos Reis e Cidade de Mangaratiba, na Bacia de Santos, e no FPSO Capixaba, na Bacia de Campos.

A Petrobras ainda sofreu com a "queda na demanda, mais acentuada no mês de abril, com recuperação nos meses de maio e junho".

"Apesar das dificuldades enfrentadas, conseguimos manter a produção de óleo no Brasil no patamar planejado", afirmou a companhia, que manteve sua meta de produção para o ano de 2,7 milhões de boed, com variação de 2,5% para cima ou para baixo.

Na comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, a produção total da Petrobras subiu 6,4%.

No semestre, a Petrobras registrou um aumento de 10,4% ante o mesmo período de 2019, para 2,856 milhões de boed.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook