“Eu quero muito ouro”: preço do metal dispara na crise da Covid-19


Do CNN Brasil Business, em São Paulo
27 de julho de 2020 às 07:03
Podcast O que eu faço

"O que eu faço?": CNN tem podcast para tirar dúvidas sobre investimentos em tempos de crise

Foto: Divulgação

A atriz Carla Diaz ficou nacionalmente conhecida ao interpretar a jovem Khadija na novela “O Clone” no início do século. O seu bordão ficou ainda mais famoso: “Inshalá! Eu quero muito ouro”. Em momentos de crise, como o atual, a frase faz ainda mais sentido. Não pela posse do metal em si, mas por ser uma reserva de valor muito importante para passar por momentos turbulentos.

Não por acaso, a pandemia da Covid-19 fez o preço do ouro disparar em todo o mundo e até mesmo ultrapassar o pico do preço visto nos anos de 2010 e 2011 durante a crise causada pelos efeitos da bolha imobiliária dos Estados Unidos.

Veja também:
Confira aqui todos os episódios do "O que eu faço?"

Visto como uma espécie de porto seguro pelo mercado financeiro, que utiliza o ouro para passar por volatilidade, o ouro é um ativo que pode ser muito importante para compor uma carteira de investimentos. Obviamente, você não vai comprar o metal e deixar estocado em casa, mas sim comprar fundos que tenham ele como ativo.

“Se olharmos o retorno do ouro de fevereiro até agora está cerca de 27% a onça (o equivalente a 31,1 gramas). E o ouro é um investimento de baixíssimo risco e um ativo financeiro muito interessante para todos os investidores”, diz Eliezer Freitas, trader da Santander Corretora.

Como ainda há sérias dúvidas de como a pandemia da Covid-19 irá seguir – se teremos uma segunda onda ou não – o preço do ouro deve se manter em patamares altos.

Quer entender mais? Basta escutar o novo episódio do podcast “O que eu faço”, comandado por Luciana Barreto, âncora da CNN, e Fernando Nakagawa, diretor do CNN Business.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook