Volkswagen corta dividendos com pandemia afetando vendas de carros


Edward Taylor, da Reuters
30 de julho de 2020 às 16:10
Volkswagen

 

Foto: Fabian Bimmer/Reuters

A Volkswagen divulgou nesta quinta-feira um prejuízo operacional no segundo trimestre, com as entregas de veículos caindo quase um terço devido à pandemia de Covid-19, forçando a montadora alemã a cortar seus dividendos, apesar de uma recuperação gradual na demanda.

A montadora multimarcas de carros e caminhões previu um declínio significativo nas vendas do ano inteiro, apesar de ter visto uma recuperação gradual globalmente à medida que os bloqueios foram reduzidos.

A empresa disse que seu lucro operacional em 2020, antes de e incluindo itens especiais, seria bastante abaixo em relação ao ano anterior, embora deva permanecer em território positivo.

Leia também:
Pão de Açúcar não sabe o que é crise – mas Carrefour é o 'queridinho' da vez
Via Varejo reinventa Casas Bahia e mira Apple Store para atingir alta renda

A empresa registrou um prejuízo operacional ajustado de 1,7 bilhão de euros no período de abril a junho, ante lucro operacional ajustado de 5,1 bilhões de euros no ano anterior.

Juergen Pieper, analista automotivo do Metzler Bank, disse que os resultados ficaram abaixo das expectativas.

"A receita e o lucro operacional são decepcionantes, assim como o desempenho da VW e da Audi. As perspectivas para o ano são encorajadoras, dada a recuperação gradual das vendas", disse Pieper, que mantém recomendação de "compra" para as ações da Volkswagen.

A empresa reduziu sua proposta de dividendos de 2019 para 4,80 euros por ação ordinária e 4,86 euros por ação preferencial, contra 6,50 euros por ação ordinária e 6,56 euros por preferencial, anteriormente.

A Volkswagen disse que o retorno operacional ajustado das vendas em sua divisão automotiva caiu para 9,1% negativos, abaixo dos 8% registrados no mesmo período do ano anterior, afetado pelos custos para cobrir os possíveis riscos do diesel.

O grupo está revisando sua estrutura corporativa, mas atualmente não há novos planos para explorar desinvestimentos ou listagens, de acordo com o vice-presidente financeiro Frank Witter, que disse que todas as 12 marcas, incluindo Bentley, Bugatti, Lamborghini, Porsche e Audi, ainda são essenciais para o negócio.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook